Províncias

Barragem de Calueque quase concluída

Elautério Silipuleni | Calueque

As obras de reabilitação da primeira fase da barragem hídrica de Calueque, baseada no rio Cunene, município de Ombadja, que vai irrigar milhares de hectares para a produção de cereais, hortícolas e outros produtos essenciais à segurança alimentar da população, deverão estar concluídas antes do fim do primeiro trimestre de 2017, de acordo com o chefe do gabinete para gestão da bacia do rio Cunene, Neves Maceo.

A reabilitação da barragem hídrica de Calueque contempla a recuperação das estruturas físicas e colocação de novas comportas
Fotografia: Elautério Silipuleni

A reabilitação da barragem contempla a recuperação das estruturas físicas, colocação de novas comportas e construção de um reservatório de equilíbrio, com capacidade de um milhão de metros cúbicos de água.
A obra, iniciada em 2012, está orçada em mais de 225 milhões de dólares americanos e permitiu criar cerca de 300 postos de trabalho directos, beneficiando maioritariamente jovens daquela localidade.
De acordo com Neves Maceo, o projecto tem como finalidade promover um conjunto de acções de revitalização das zonas agrícolas de Calueque, regularização fluvial do Cunene, permitindo a optimização da produção da central hidroeléctrica da barragem do Ruacaná, que vai armazenar água e transferir parte dela para o norte da vizinha Namíbia, onde vai alimentar projectos agrícolas, assim como abastecer a população e o gado.
O chefe do gabinete para gestão da bacia disse que o plano de reabilitação da barragem tem como objectivo devolver à localidade de Calueque a dinâmica na actividade agrícola na província do Cunene, granjeada no período colonial, bem como melhorar o mecanismo de distribuição dos produtos locais, no âmbito da diversificação da economia.
Quando for concluído, afirmou, o projecto vai contar com duas novas centrais hídricas, um novo canal de irrigação e 21 pivôs. Além da localidade de Calueque, a barragem vai permitir igualmente a irrigação do norte da Namíbia, através da implantação de três condutas elevatórias, no quadro da cooperação económica entre os dois países. Neves Maceo acrescentou que a intervenção na barragem cingiu-se principalmente na sua estrutura física, para garantir maior segurança e a sua longevidade, tendo em conta que a mesma havia sido destruída por altura do conflito armado.
Segundo o chefe do gabinete de gestão para o rio Cunene, neste momento está-se a concluir as condutas elevatórias da zona sul, que vão servir para o abastecimento de água à população e o canal de irrigação, enquanto na zona norte se ultima a construção da albufeira para fins agrícolas e a criação de bebedouros para o gado.  Para o responsável das obras, estão também em fase de conclusão o sistema de bombagem para o abastecimento de água aos campos agrícolas de Calueque, a reparação do equipamento hidromecânico do descarregador das cheias e da descarga de fundo, bem como a instalação dos limpa-grelhas e das comportas de isolamento da estação do elevatório sul.
 Neves Maceo deu a conhecer que no mês de Fevereiro acontece a testagem de todas as máquinas instaladas e, depois de comprovada, segue-se o arranque definitivo do empreendimento, que vai passar a bombear água para a Zona Especial Económica de Calueque (ZEEC) e a República da Namíbia.

Tempo

Multimédia