Províncias

Bombeiros prontos para intervir

Adelaide Mualimusi | Ondjiva

 
O comandante provincial dos Serviços de Bombeiros do Cunene, Joaquim Domingos António, garantiu esta semana que o seu comando tem todas as condições de pessoal e meios para qualquer sinistro, na eventualidade da província registar cheias na presente época.

O comando provincial tem todas as condições de pessoal e meios para sinistros
Fotografia: Jornal de Angola

O comandante provincial dos Serviços de Bombeiros do Cunene, Joaquim Domingos António, garantiu esta semana que o seu comando tem todas as condições de pessoal e meios para qualquer sinistro, na eventualidade da província registar cheias na presente época.     De acordo com o responsável, os bombeiros dispõem de meios de transporte e equipamentos de resgate e salvamento suficientes. Em termo de pessoal contam com um bom número de efectivos, para além da ajuda das Forças Armadas Angolanas e da Polícia Nacional.
Este ano, a preocupação com as inundações é, no entanto, mínima, porque o Gabinete Técnico de Reconstrução das Infra-estruturas de Ondjiva e Avaliação da Bacia Hidrográfica do Cuvelai está a proceder à construção de diques de protecção da cidade. “As minhas grandes preocupações estão viradas para o município de Namacunde, porque as águas correm para aqueles lados e chegam ao ponto de danificar estradas, dificultando o acesso àquela localidade”, referiu Joaquim António.
Acrescentou que nos arredores deste município acaba por ficar tudo parado, como é caso dos estudantes, por as escolas terem de fechar, e dos funcionários que deixam de trabalhar durante esta época. No ano passado passou-se algo de semelhante no Cuvelai, onde a população ficou, durante dois meses, sem alimentação nem combustível, para o abastecimento de viaturas e geradores, indispensáveis na iluminação da vila.
Uma outra preocupação dos bombeiros prende-se com o afogamento de crianças, pelo que Joaquim António pediu aos familiares para não deixarem os seus miúdos tomarem banho nas represas sozinhos sem que estejam acompanhados por um adulto. Aos jovens que gostam de fazer piqueniques nos arredores da cidade nesta altura chuvosa e costumam nadar, aconselha a entrarem sempre em contacto com os serviços de bombeiros. Durante o ano passado houve 28 afogamentos, na sua maioria de crianças.

Tempo

Multimédia