Províncias

Calueque beneficia de projectos de impacto social

Arão Martins | Calueque

As populações das aldeias de Mayova, Tchitauwa, Kanhamissifa, Maypya, Tchiteheke Noya e Hano beneficiam de quatro escolas de seis salas cada, a partir do próximo ano lectivo, anunciou ontem o coordenador geral do projecto Agro-industrial Ezopark, Horizonte 2020.

Autoridades locais e parceiros envidam esforços para inserir todas as crianças da região no sistema normal de ensino e aprendizagem
Fotografia: Eduardo Pedro

Miguel Cristóvão explicou ao Jornal de Angola que, a par da construção das  escolas, o projecto prevê igualmente a edificação de quatro postos de saúde.
O coordenador do projecto referiu que as obras começam em breve, tendo acrescentado que nesta altura as autoridades administrativas estão a realizar um estudo de viabilidade, para determinar os locais certos, tendo em conta o número de pessoas que a implementação do projecto exige.
Outra benfeitoria, disse Miguel Cristóvão, tem a ver com a abertura de furos de água para abastecer de água potável a população  e a criação de bebedouros para o gado, principal riqueza da região.
O regedor da povoação do Rua-Cana, município do Curoca, Fernando Hifilenha Naikete, mostrou-se satisfeito com a integração da população local no projecto, apesar de se encontrar ainda em fase inicial.
Fernando Hifilenha Naikete disse existir um diálogo salutar entre as autoridades tradicionais, população e o grupo empresarial, que, em conjunto com o governo, estão a criar boas condições para as populações locais. “Percebemos que o projecto é inclusivo e tem por objectivo principal ajudar as famílias que vivem nos arredores da área”, reconheceu a autoridade tradicional, que acrescentou que em função da pertinência do projecto, algumas famílias concordaram mudar para outras áreas não distantes, onde o proprietário do projecto fez abertura de novas lavras, furos de água e entregou também charruas, gado de tracção e reprodutor.
“Conversámos bem. Não temos motivos de queixa, porque o projecto beneficia também os nossos filhos, que antes eram obrigados a ir trabalhar ao longo da fronteira com a Namíbia e muitos deles têm sido expulsos por falta de vistos”, explicou Fernando Naikete.
O administrador comunal de Chitado, Mbambi Keane dos Santos, assegurou que a implementação do projecto Agro-Industrial Ezopark, Horizonte 2020 contempla vários programas sociais na sua área de jurisdição.
Mbambi Keane dos Santos referiu que a construção de quatro escolas e igual número de postos médicos vai contribuir positivamente no combate ao analfabetismo e minimizar as doenças registadas com frequência na região.
O responsável municipal disse que as escolas são criadas em função do número de pessoas que foram realojadas. “Estamos a prever quatro escolas e igual número de postos médicos. A implementação do projecto depende da quantidade da população no momento do realojamento”, disse o administrador Mbambi Keane dos Santos.
Sobre o número de professores, o administrador comunal de Chitado esclareceu que foi realizado um concurso público de admissão de  docentes para as novas escolas. 
Mbambi Keane dos Santos adiantou que vão ser criados centros de captação, distribuição e abastecimento de água potável, tendo citado como exemplo a povoação de Calueque, onde a construção da barragem sobre o rio, destinada à regularização fluvial e à captação de água para o regadio e abastecimento à população e o gado. está em fase avançada. O administrador comunal reconheceu que o projecto traz muitos ganhos para a sua região, que viu enquadrar mais de 500 jovens locais, que já trabalham no projecto, uma forma clara de garantir trabalho e riqueza às famílias da comuna de Chitado.

Tempo

Multimédia