Províncias

Camionistas fatigados com o estado da estrada

Dionísio David | Evale

As chuvas que têm caído nos últimos dias na província do Cunene, com realce para a cidade de Ondjiva e arredores, têm criado sérios problemas aos automobilistas e camionistas que circulam nos troços Ondjiva-Evale-Cuvelai, na parte norte da província.

O troço é uma da principais vias por onde passa grande parte das mercadorias
Fotografia: Jornal de Angola

As chuvas que têm caído nos últimos dias na província do Cunene, com realce para a cidade de Ondjiva e arredores, têm criado sérios problemas aos automobilistas e camionistas que circulam nos troços Ondjiva-Evale-Cuvelai, na parte norte da província. A reportagem do Jornal de Angola constatou que o troço que vai de Ondjiva ao Evale, numa extensão de 66 quilómetros, tem sido o mais difícil de percorrer, devido ao elevado estado de degradação em que se encontra. Como consequência, o tráfego tem sido difícil, devido a um certo receio dos automobilistas em danificar as suas viaturas.
O troço é uma das principais vias por onde passa grande parte das mercadorias e pessoas vindas do município de Cuvelai, para o mercado provincial, localizado no município do Cuanhama.
A sede municipal do Cuvelai, no Cunene que fica a 168 quilómetros de Ondjiva, é uma das praças-fortes em termos da agricultura e agropecuária. A localidade abastece o mercado de Ondjiva com produtos como a massango, milho, ginguba, batata rena e doce, entre outros.
Daí que as comunidades e empresários locais considerem a via como sendo de importância vital e urgente a sua recuperação.
O camionista António Lelo, que faz o trajecto há mais de três anos, disse que a viagem até o Cuvelai, demora, em tempo chuvoso, cerca de 14 horas, sendo de quatro em tempo normal. 

Tempo

Multimédia