Províncias

Casamento precoce em análise na região

Filipe da Silva | Huambo

Jovens e adolescentes estão a ser aconselhados a evitar casamentos e gravidez precoces nas comunidades, informou ontem, ao Jornal de Angola, Frutuosa de Jesus, directora provincial  do Huambo da Família e Promoção da Mulher, promotora da campanha de sensibilização, iniciada no ano passado.

A campanha, com a duração de dois anos, é dirigida, fundamentalmente, a adolescentes e a jovens menores de 18 anos e visa desencorajar casamentos e gravidez prematuros, tendo em conta as suas consequências.
De acordo com a directora, foram identificados, desde o ano passado, 16.119 casos de gravidez precoce e  4.913 casamentos prematuros, ao passo que a segunda fase está prevista para começar em Setembro.
Frutuosa de Jesus considerou como causas principais o abandono familiar, a situação económica e financeira e a pobreza das famílias, principalmente nas zonas rurais.
“No meio rural, é normal que as crianças se casem cedo. Na sensibilização, estamos a trabalhar com as autoridades tradicionais e constatámos que as dificuldades de emprego, a desestruturação das bases familiares, a falta de acompanhamento dos filhos e o uso excessivo de bebidas alcoólicas são também causas principais de casamentos e gravidez precoces.

Tempo

Multimédia