Províncias

Casos de sida tendem a baixar

Adelaide Mualimusi| Ondjiva

Novos casos de VIH/Sida, num total de 370, foram notificados de Julho a Setembro deste ano em diferentes centros de aconselhamento e testagem voluntária da província do Cunene, dos quais 29 terminaram em mortes, de acordo com o relatório do terceiro trimestre da Direcção Provincial da Saúde, tornado público ontem. Durante o período em análise houve uma diminuição de 44 casos e cinco óbitos, relativamente a igual período de 2014.

O documento da Saúde avança que grande parte dos casos foi diagnosticado em mulheres gestantes, jovens de ambos os sexos e crianças. No mesmo período, o sector da Saúde na província registou 54.093 casos de várias patologias, que causaram a morte de 283 cidadãos.
As doenças que mais mortes causaram foram a tuberculose, com 217 casos e 34 óbitos, a malnutrição aguda, com 530 casos e 30 mortes, em menores de cinco anos, infecção respiratória aguda, com 6.288 casos e 22 óbitos, as diarreias, com 7.099 casos e 21 óbitos.
Os Serviços de Saúde notificaram ainda 1.769 casos de hipertensão arterial, com 17 mortes, 33 casos de diabetes, com quatro óbitos, 189 casos de tosse convulsa, assim como 20 casos de hepatite com seis óbitos, 123 casos de schistossomíase e 111 de sarampo.
Os municípios com maior índice de casos são os de Ombadja, na localidade de Ondonlotolo, da comuna de Naulila, zona fronteiriça com a Namíbia, Curoca, Namacunde, Cuanhama e Cahama.
O documento aponta também que foram registados no mesmo período 522 casos de febre tifóide, atribuídos à insuficiente água potável e saneamento básico nas comunidades, fraca adesão às boas práticas de higiene pessoal, como lavar as mãos com frequência, ferver ou tratar a água de consumo com hipoclorito de sódio.

Tempo

Multimédia