Províncias

Chuva em Ondjiva provocou estragos

Elautério Silipuleni | Ondjiva

 A chuva, acompanhada de fortes ventos, que se registou na tarde de quarta-feira, em Ondjiva, capital da província do Cunene, deixou muitas famílias sem abrigo, causou o ferimento de uma criança e provocou muitos prejuízos materiais.

 A chuva, acompanhada de fortes ventos, que se registou na tarde de quarta-feira, em Ondjiva, capital da província do Cunene, deixou muitas famílias sem abrigo, causou o ferimento de uma criança e provocou muitos prejuízos materiais.
Durante uma ronda efectuada pela cidade, a equipa de reportagem do Jornal de Angola constatou a destruição de muitas residências e de estabelecimentos comerciais.
Os bairros mais afectados foram os de Caculuvale e Kafitu, onde muitas árvores tombaram devido à força do vento.
Os responsáveis dos bairros mais afectados garantiram que está a ser feito um levantamento para avaliar os prejuízos causados pela chuva.
“As fortes chuvas, acompanhadas de ventania, duraram cerca de 45 minutos. De repente tudo começou a voar, não deu tempo de fazer nada. Alguns bens que estavam no armazém estragaram e todos os documentos molharam”, disse José Ambrósio Miguel, gerente de um estabelecimento comercial.

Requalificação das ruas
 
Cidadãos contactados pela equipa de reportagem defendem a reabilitação das ruas da cidade de Ondjiva, que, nos últimos dias, com o início das chuvas, estão a causar muitos transtornos aos automobilistas.
As obras, acrescentam, para além de melhorar o trânsito, ajudariam a dar uma nova imagem à cidade capital da província do Cunene.
As obras para a construção de diques de protecção e reabilitação das ruas da cidade de Ondjiva estão a cargo da empresa chinesa CRBC. Os trabalhos vão consistir no reforço do pavimento existente, construção de passeios e passagens hidráulicas.
A referida empresa já começou a construir os diques de protecção para atenuar os efeitos das cheias nos arredores de Ondjiva. As obras tiveram início em Outubro, com o aumento da altura dos diques e prolongamento, em 20 quilómetros, entre as zonas residenciais, faltando apenas o arranque da reabilitação das ruas.
As medidas que visam agilizar os trabalhos de construção de diques e de recuperação das infra-estruturas da cidade de Ondjiva destruídas pelas inundações da passada época chuvosa já foram traçadas pelo Governo central, com a criação de um gabinete técnico para a recuperação das infra-estruturas da capital da província, em Maio último.

Tempo

Multimédia