Províncias

Complexo do Oihole é ampliado em breve

Elautério Slipulene | Namacunde

O Complexo Turístico de Oihole, espaço que conserva o túmulo do Rei Mandume ya Ndemofayo, símbolo da resistência à ocupação colonial no sul de Angola, vai brevemente beneficiar de obras de ampliação, anunciou segunda-feira o governador provincial do Cunene.

O Complexo Turístico de Oihole tem vários serviços de hotelaria e de eventos culturais mas actualmente quase ninguém visita o local
Fotografia: Domiano Fernandes |

O governador António Didalelwa, que falava na cerimónia de comemorações dos 98 anos da morte do rei dos cuanhamas, a 6 deste mês, disse que são construídas novas infra-estruturas e implementados outros atractivos, para que os turistas sejam melhor acolhidos.
O governador do Cunene disse que as obras vão contemplar a construção de um novo memorial do rei e de mais restaurantes, com maiores capacidades, além de outros serviços que vão permitir atrair turistas para o complexo do Oihole.
António Didalelwa disse que a área onde passa a vedação é apertada e há necessidade de se trabalhar no sentido de alargar o espaço num raio de cinco quilómetros em todos os lados.
A intenção do Governo Provincial do Cunene é transformar o complexo num dos pontos turísticos de maior referência no país. O objectivo primordial é manter o hábito de visita ao memorial do soberano, aumentar a capacidade de alojamento de turistas e trazer outros atractivos para turistas, levando ao complexo diversos animais. Em função disso, o responsável salientou que as autoridades precisam da colaboração das famílias que vivem à volta do complexo, uma vez que as mesmas vão ser realojadas para outros áreas, para permitir a ampliação do centro do Oihole. O governador do Cunene disse que as obras vão continuar para que o lugar seja melhorado, dignificado e tenha a capacidade de albergar mais turistas, ajudando a estratégia do Executivo de diversificar a economia do país e da província, em particular.
O Complexo Turístico do Oihole, além de acolher o túmulo do rei Mandume ya Ndemufayo, tem serviços de hotelaria, recreação e de eventos culturais, mas actualmente quase ninguém visita o local.
Os poucos que para lá se deslocam limitam-se a homenagear o soberano, colocando uma folha da árvore omufiati, que simboliza poder, respeito e sorte. As autoridades locais tiveram necessidade em 2008 de reabilitar o centro e concluir a segunda fase do projecto, que compreendia arranjos profundos no túmulo do soberano, ampliação da área residencial, construção de um museu, biblioteca e piscina.
O complexo foi construído em homenagem a Mandume ya Ndemufayo, rei dos cuanhamas, e a outras pessoas anónimas que lutaram em defesa do território nacional contra as forças de ocupação colonial.
A inauguração do complexo foi a 6 de Fevereiro de 2002, pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos.

Tempo

Multimédia