Províncias

Condições de vida melhoram no Cunene

Domingos Calucipa | Ondjiva

 As condições de vida das populações da província do Cunene conheceram melhorias significativas nos últimos dois anos, em consequência da aposta do governo na construção de infra-estruturas sociais básicas indispensáveis, como água, energia eléctrica, escolas, hospitais e estradas.

O governo provincial adquiriu grupos geradores para reforçar o fornecimento de energia eléctrica
Fotografia: Elauterio Silipuleni

 As condições de vida das populações da província do Cunene conheceram melhorias significativas nos últimos dois anos, em consequência da aposta do governo na construção de infra-estruturas sociais básicas indispensáveis, como água, energia eléctrica, escolas, hospitais e estradas.
As melhorias são notáveis nas sedes municipais, comunais, povoações e em bairros dos centros urbanos. São realizações que colocam a província nos mesmos passos de desenvolvimento em relação a outras regiões do país e deixam para trás as grandes assimetrias existentes.
O director provincial do Gabinete de Estudos e Planeamento do Governo do Cunene, Benedito Mupinga, disse que nos seis municípios e nas 20 comunas da província, o governo está a fazer um grande esforço para reabilitar e construir infra-estruturas essenciais.
Nos últimos dois anos foram construídas 29 escolas para o ensino primário e secundário, num total de 120 salas de aulas, e oito unidades de saúde. As escolas estão a beneficiar mais de sete mil alunos, antes fora do sistema de ensino.
A capacidade de internamento hospitalar aumentou para 76 camas. “Gradualmente estamos a atingir as comunas com os principais serviços”, disse o responsável do Plano do governo da província.
As sedes comunais da Kafima e Mupa beneficiaram de “planos integrados”. De uma só vez, receberam sedes das administrações, centros de saúde, escolas, sistemas de água, geradores eléctricos, postos policiais e casas para professores e enfermeiros.
Em 2008, o Governo executou o Programa de Melhoria e Aumento da Oferta dos Serviços Sociais Básicos às Populações. O governo provincial considera que o programa foi executado de forma positiva, em função dos resultados alcançados, traduzidos em inaugurações de infra-estruturas de carácter social, administrativas e económicas.
O realce vai para a edificação de três escolas com 12 salas cada e duas com seis salas na cidade de Ondjiva, uma com seis salas em Kanautoni, município de Ombadja, e várias outras com três e duas salas distribuídas nos restantes municípios e comunas.
No campo da saúde, foram construídos os centros de saúde de Santa Clara, de Omandobe, do Humbe e de Kafima, a reabilitação e ampliação do centro de saúde de Kanautoni, construção dos postos de saúde de Luhengue, de Oshakati, de Eñghali, de Oyonde e de Ohameke.
As novas obras estão a reduzir as distâncias que as comunidades rurais antes tinham que percorrer até aos principais centros urbanos para resolver problemas de saúde.
O programa do Governo do Cunene permitiu igualmente a abertura e equipamento de 22 furos de água no meio rural e o melhoramento do sistema de energia da sede municipal do Kuvelai, com o reforço de um gerador de 100 kva.
As realizações do Governo tocam ainda a edificação de infra-estruturas institucionais. Neste capítulo o destaque vai para a construção das direcções provinciais da Juventude e Desportos, da Agricultura e Desenvolvimento Rural, dos Serviços Veterinários, do Centro de Aconselhamento Familiar, da Indústria, Comércio e Hotelaria e Turismo e da Assistência e Reinserção Social.
A província tem também 15 casas para quadros no município do Kuvelai, um pavilhão desportivo, um internato para estudantes no Kanautoni, três casas para o governador e os dois “vices”, três casas para magistrados judiciais em Xangongo e cinco casas na Kafima, para quadros técnicos.
No âmbito dos projectos de âmbito central, a província ganhou a ponte sobre o rio Cunene, a estrada Ondjiva/Humbe numa extensão de 107 quilómetros, o Instituto Médio de Administração, três pavilhões de artes e ofícios nos municípios do Kuvelai, Namacunde e Xangongo, uma nova aerogare, sistema de telefonia fixa da Angola Telecom no Kuvelai e duas bombas de combustíveis em Ondjiva.
Benedito Mupinda frisou que em 2008 foram executados e inaugurados 52 projectos, num investimento de aproximadamente 1,4 mil milhões de kwanzas, enquanto outros transitaram para 2009.
 
    Crise económica
 
A crise económica e financeira que afectou o mundo e o país em particular, não poupou também a província do Cunene. O director do Plano sublinhou que o valor inicial para os investimentos públicos da província para 2009 era de 2.250 mil milhões de kwanzas. Mas, com os ajustamentos causados pela crise económica e financeira que afectou o país, o valor baixou para 1,2 mil milhões de kwanzas, o que prejudicou os planos do governo local.
Benedito Mupinga informou que em 2009 começou uma nova era na execução dos projectos. É o ano que marca o início da execução do Programa de Investimentos Públicos.
Este programa, salientou, está enquadrado num plano mais amplo de médio prazo, que é o quinquénio 2009-2013 e comporta projectos diversificados virados para o desenvolvimento.
Para este ano foram programados 45 projectos. Desses, 50 por cento transitaram de 2008 por não terem sido concluídos. “Ao longo da execução do programa deparamo-nos com a crise económica financeira mundial que afectou o nosso país. Então demos prioridade aos projectos que transitaram. Assim, o governo cumpriu com a sua execução e mais de metade já foram inaugurados, enquanto os restantes estão em fase de conclusão", justificou o director do Plano.

Tempo

Multimédia