Províncias

Construção de hotéis está no bom caminho

Domingos Calucipa | Ondjiva

Um hotel de quatro estrelas, com capacidade para 69 quartos, duas suites presidenciais, orçado em 14 milhões de dólares, encontra-se em fase conclusiva da sua construção, na província do Cunene.

Um hotel de quatro estrelas, com capacidade para 69 quartos, duas suites presidenciais, orçado em 14 milhões de dólares, encontra-se em fase conclusiva da sua construção, na província do Cunene.
O hotel possui ainda um restaurante para 120 pessoas, sala de conferências para 180 pessoas, campos de ténis e de basquetebol, bar ao ar livre, piscina, cabeleireiro e sala de massagens.
O engenheiro Rogério Andersson, da empresa GB Construtores Reunidos, responsável pela fiscalização da obra, disse que a inauguração do imóvel pode acontecer ainda este mês.
Rogério Andersson revelou que quatro outras unidades hoteleiras, sendo três na cidade de Ondjiva e duas na sede do município de Namacunde, encontram-se também em construção, numa iniciativa do sector privado.

Jovens na expectativa

As novas unidades hoteleiras em construção na província estão a ser aguardadas com expectativa por muitos jovens, que consideram ser uma grande oportunidade para conseguir o primeiro emprego. />Maria Muneinge, uma jovem de 24 anos, finalista do curso de administração e gestão, no Instituto Médio de Administração e Gestão de Ondjiva, acredita que, com a abertura de novos hotéis, muitos jovens podem conseguir o primeiro emprego.
Para ela, hoje fica mais fácil conseguir emprego numa empresa privada, porque não são muito exigentes quanto ao grau académico, bastando ter prática na área que se pretende trabalhar.
“Muitos jovens na minha condição, alguns com o ensino médio concluído, já tentaram concorrer em vários concursos públicos mas nunca conseguiram, porque as vagas disponíveis são sempre bastante reduzidas.
Fernando Ndaendanawa, 30 anos, empregado de mesa de um restaurante da cidade, entende que a entrada em funcionamento de novos hotéis eleva a concorrência no sector.

Carência de escolas

O mercado hoteleiro de Ondjiva reclama há bastante tempo pela abertura de uma escola de formação de profissionais de hotelaria.

Tempo

Multimédia