Províncias

Criada comissão de luta contra efeitos da pandemia da Sida em Namacunde

Dionísio Davi | Namacunde

O administrador comunal de Namacunde, no Cunene, Graciano José Hikelwa, revelou ontem ao Jornal de Angola que foi criada uma comissão de mobilização sobre os efeitos do VIH-Sida e suas implicações no seio das comunidades.

Alastramento do vírus da imunodeficiência continua a alarmar as autoridades do país
Fotografia: Jornal de Angola

O administrador comunal de Namacunde, no Cunene, Graciano José Hikelwa, revelou ontem ao Jornal de Angola que foi criada uma comissão de mobilização sobre os efeitos do VIH-Sida e suas implicações no seio das comunidades.
Integrada por profissionais da saúde, autoridades tradicionais, organizações juvenis e personalidades da sociedade civil, a comissão tem como objectivo promover palestras e debates junto das comunidades rurais e urbanas sobre o impacto da doença.
Graciano José Hikelwa informou que a comissão ora criada, na sequência dos esforços que as autoridades locais levam a cabo na luta contra a doença, vai igualmente auxiliar o comité municipal de luta contra VIH-Sida, cujos casos de contaminação têm vindo a diminuir consideravelmente na região.
Lembrou ainda o empenho dos serviços de saúde, que tudo têm feito na mobilização e sensibilização das comunidades para que acorram aos centros de testagem voluntária, e na educação sexual sobre as formas de transmissão e prevenção da doença.
O combate à sida e a outras endemias, referiu, tem constituído a preocupação número um da administração local e parceiros sociais, e têm sido desenvolvidos esforços comuns com as organizações da sociedade civil e as associações juvenis na luta contra a doença.
Graciano José Hikelwa recordou que, num passado recente, o município de Namacunde, e em particular a comuna sede, registava casos frequentes de sida, devido à extensão fronteiriça com a vizinha Namíbia, onde os índices da doença são muito altos. Acrescentou que, hoje em dia, esta situação já não se coloca, graças à pronta intervenção do comité local de luta contra a sida e das autoridades sanitárias na mobilização de recursos humanos e financeiros, com particular realce para as acções de sensibilização e esclarecimento sobre o perigo que este flagelo representa para os seres humanos. O administrador aproveitou a ocasião para pedir à juventude, por ser a população alvo do VIH-Sida, que observe, com rigor, a prevenção e os cuidados a ter com a doença.

Tempo

Multimédia