Províncias

Cruz Vermelha de Angola intensifica acções de apoio

Dionísio David| Ondjiva (*)

A delegação provincial da Cruz Vermelha de Angola no Cunene está a desenvolver, desde o início do ano corrente, acções viradas para o apoio às comunidades mais vulneráveis, tendo em conta os efeitos da seca que se regista nalgumas áreas da província, bem como na prevenção da febre-amarela, informou ontem, em Ondjiva, um relatório de mobilização comunitária.

Das acções desenvolvidas, destaca-se a formação de voluntários em todos os municípios da província, que têm como missão formar e informar as comunidades sobre as ocorrências e prevenção de casos de febre-amarela e de outras epidemias, além dos aspectos ligados ao saneamento básico, higiene, nutrição e tratamento da água.
O relatório indica que, das actividades realizadas, se destaca igualmente a realização de palestras sobre educação sanitária, com realce para a febre-amarela, saneamento básico e protecção do meio ambiente.
Cerca de 8.255 pessoas nos seis municípios da província, Cuanhama, Cuvelai, Curoca, Kahama, Namacunde e Ombadja, participaram do projecto que tem como objectivo levar informações úteis às comunidades em zonas de difícil acesso.  A delegação provincial da Cruz Vermelha de Angola, apesar de alguns constrangimentos, devido à falta de meios de transporte para se atingir as áreas mais recônditas, refere o documento, tem realizado trabalhos de sensibilização, porta-a-porta, em mais de 100 casas por mês.
O relatório adianta ainda que a instituição vai continuar a desenvolver acções de sensibilização junto das comunidades e levá-las a aderir às campanhas de vacinação contra a febre-amarela, já que existe ainda um grande número de pessoas não vacinadas em áreas onde a vacina já foi ministrada.

Outras acções


De acordo com a responsável provincial da Cruz Vermelha, Regina Olga Francisco, a instituição vai continuar a trabalhar na sensibilização, sobretudo da juventude e adolescentes, visando a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e de uma gravidez precoce. Defendeu a necessidade de intensificar-se as palestras nas escolas, em centros turísticos, recreativos e desportivos.
Referiu que, para complementar as iniciativas em curso, a delegação da Cruz Vermelha de Angola distribuiu, durante o mês de Agosto, um total de 3.956 preservativos a jovens, nos seis municípios que compõem a província, no âmbito do programa de combate à sida e outras doenças sexualmente transmissíveis.

Tempo

Multimédia