Províncias

Cunene quer mais jovens em cursos de artes e ofícios

Os jovens locais devem inscrever-se nos cursos técnicos profissionais, para terem um ofício e poderem encarar o mercado de trabalho, disse ontem a chefe do Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFOP) no Cunene.

Muitos jovens optam por cursos técnicos para terem um ofício e poderem encarar o mercado
Fotografia: Edmundo Eucílio| Bengo| Edições Novembro

Maria Baltazar, que falava sobre o programa de formação técnico-profissional, disse que actualmente decorrem as inscrições de novos candidatos nos cursos de alvenaria, carpintaria, electricidade de baixa tensão, frio, serralharia, informática, canalização, mecânica auto, empreendedorismo, contabilidade e gestão.
A responsável apelou aos jovens do Moxico a aproveitarem estas acções de formação grátis nos centros de formação profissional em Ondjiva e em três pavilhões de arte e ofícios nos municípios de Ombadja, Namacunde e Cuvelai, o primeiro passo para a inserção no mercado de trabalho.
A chefe do Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional disse que só formados os jovens podem encarar o competitivo mercado do trabalho, pois o Governo angolano está atento, criando as condições de aprendizagem de cursos técnicos básicos e profissionais.
Em 2016, o Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional no Cunene formou 1.117 jovens de vários pontos da província, em várias especialidades técnico-profissionais.

Tempo

Multimédia