Províncias

Cunene regista primeiros suspeitos de febre-amarela

Domingos Calucipa | Ondjiva

As autoridades sanitárias do Cunene notificaram, nos últimos dias, os primeiros sete casos suspeitos de febre-amarela, de que resultou um óbito, revelou ontem em Ondjiva o director provincial da Saúde.

Director da Saúde Eleutério Hivilikwa
Fotografia: Venâncio Amaral

Eleutério Hivilikwa disse que os doentes foram diagnosticados nos municípios de Cuanhama, Ombadja e Cahama. A única vítima mortal, um jovem proveniente de Luanda, é natural da Cahama.
O responsável da Saúde apelou à população para tomar medidas preventivas, como a manutenção da higiene pessoal e do saneamento da área habitacional, devendo acorrer aos postos sanitários quando surgirem sintomas da doença.
Eleutério Hivilikwa esclareceu que a província ainda não tem condições para realizar uma campanha de vacinação massiva e explicou que apenas estão disponíveis vacinas para menores de um ano e pessoas que comprovadamente pretendem viajar para o exterior do país.
Como medida preventiva, as autoridades sanitárias na provincia do Cunene realizam constantemente encontros para esclarecimento das comunidades rurais, áreas de residências, escolas e outros locais públicos dos municípios.
“ A estratégia é levar o máximo de informação posível á população sobre a origem desta doença, sua forma de transmissão e e prevenir o seu alastramento na província”, referiu o médico, referindo que a a aderência das pessoas tem sido bastante aceitável, sobretudo com a colaboração das administrações muncipais”, sublinhou o médico.
Os serviços provinciais de saúde no Cunene diagnosticaram, engtretanto, nos últimos meses  s 377 casos de chicungúnia, vulgarmente conhecida por catolotolo, segundo Euletério Hivilikwa.
O director da saúde garantiu que todos os casos registados estão sob controlo médico e registam uma evolução significativa.
Apelou a população ao abservar as medidas  de prevenção da doença que estão a ser transmitidas pelos técnicos de saúde.

Tempo

Multimédia