Províncias

Debatida protecção da criança

Elautério Silipuleni | Ondjiva

Uma rede social de protecção às crianças das províncias do Cunene e da Huíla foi criada na sexta-feira, em Ondjiva, durante um encontro realizado para o efeito.

Uma rede social de protecção às crianças das províncias do Cunene e da Huíla foi criada na sexta-feira, em Ondjiva, durante um encontro realizado para o efeito.
O director provincial do Instituto Nacional da Criança do Cunene (INAC), Hélder dos Santos, explicou que o debate teve como objectivo a troca de experiências entre as redes das duas províncias.
Considerando o balanço positivo, confessou-se satisfeito pela constatação de os direitos e deveres da criança, a nível das duas províncias vizinhas, estarem a ser respeitados e conservados, no sentido de garantir melhores condições de vida e de ensino.
Para se alcançarem os objectivos preconizados, Hélder dos Santos adiantou que o INAC no Cunene vai criar, em toda a extensão da província, várias redes de protecção a menores, no sentido de sondar os problemas mais candentes que os assolam. />“É preciso que os encarregados de educação redobrem os esforços, no sentido de se proteger os interesses da criança e oferecer um lar e educação, para que cresçam de forma saudável”, sustentou.
Nesse sentido, o INAC no Cunene está a trocar experiências com a rede social da Huíla, cujo coordenador, Augusto Ucavalo, explicou que a criação da mesma garante a mobilização e participação da sociedade, permite divulgar os direitos das crianças junto das comunidades e avaliar o grau de cumprimento dos 11 compromissos assumido pelo Executivo.
Durante o encontro, os participantes abordaram a necessidade da criação das redes de protecção à criança, analisaram os diversos instrumentos jurídicos nesta matéria e identificaram as linhas de cooperação para o fortalecimento das redes das duas províncias.

Tempo

Multimédia