Províncias

Detectados nos hospitais milhares de novos doentes

Adelaide Mualimusi| Ondjiva

As unidades sanitárias da província do Cunene registaram no ano passado um total de 1.043 novos casos de tuberculose, que resultaram em 56 óbitos, revelam dados do programa local de controlo da doença apresentados ontem.

No ano passado as unidades de tratamento da doença registaram a morte de milhares de pessoa
Fotografia: Miqueias Machangongo|Edições Novembro

O supervisor do Programa de Tuberculose e Lepra, António Messene, que falava por ocasião do Dia Mundial da Tuberculose, informou que os casos foram notificados nas sete unidades de tratamento da doença, que se encontram instaladas em cinco dos sete municípios do Cunene.
O responsável acrescentou que 155 casos foram detectados em pessoas que vivem com VIH, 574 seronegativos, 165 doentes de tuberculose negativa, que fizeram tratamento de exame clínico, enquanto outros 129 têm casos extra-pulmonares. António Messene referiu que se registou 66 recaídas, 120 fracassos, 420 abandonos e 264 curas, enquanto outros 56 pacientes foram transferidos para unidades mais próximas de suas casas. O supervisor apelou aos doentes com tuberculose para se absterem de bebidas alcoólicas, alertando que esta situação pode causar um agravo da doença e levar à morte. “O importante é cumprir o tratamento e a cura é possível”, garantiu.
O responsável provincial exortou os cidadãos a colaborarem com os serviços de saúde pública, no sentido de evitar-se muitas mortes por tuberculose, fazendo exame do bacilo. Caso resulte em positivo, o indivíduo deve começar o tratamento. António Messene considerou que o Dia Mundial de Combate à Tuberculose constitui uma plataforma para se defender uma maior colaboração, mantendo-se a promessa segura de que todos devem beneficiar dos serviços de prevenção e de cuidados de qualidade, para evitar o contágio.

Tempo

Multimédia