Províncias

Empreendedorismo no combate à pobreza

André Amaro |Lubango

A introdução da disciplina de empreendedorismo no curriculum do ensino secundário tem contribuído para a concretização do Programa de Combate e Redução da Pobreza entre os jovens da província da Huíla, disse a responsável provincial da Educação.

Paula Jacob manifestou a opinião na cerimónia de encerramento da formação de professores da disciplina de empreendedorismo e de jovens empreendedores das províncias do Cunene e Huíla.
O Executivo, referiu, está empenhado no introdução da disciplina de empreendedorismo no curriculum do ensino secundário em todo o país por poder ajudar muitos jovens a despertarem para o mundo dos negócios e a criarem pequenas empresas nas áreas de comércio, agricultura e prestação de serviço.
O Ministério da Educação, recordou, começou a reformular o sistema de ensino em 2010, com a aprovação do programa experimental de introdução no curriculum do ensino secundário da disciplina de empreendedorismo em 45 escolas de nove províncias.
Este ano lectivo, referiu o responsável, generalizou-se a disciplina de Empreendedorismo nas 7ª e 10ª classes daquelas escolas, o que permitiu aos alunos adquirirem conhecimentos e metodologias para identificarem, empreenderem e gerirem pequenos negócios.
As temáticas e metodologias utilizadas pelos formadores, garantiu, servem para  as escolas realizarem um trabalho de qualidade em prol do ensino e do empreendedorismo.A acção de formação, promovida pelo Ministério da Educação, permitiu que os jovens empreendedores e professores de empreendedortismo do Cunene e da Huíla adquirissem durante dez dias conhecimentos e metodologias sobre como identificar oportunidades, realizar um plano de negócios e geri-los, segundo o director provincial da Educação.
Caciano Délcio, jovem empreendedor do Cunene, elogiou a iniciativa do Ministério da Educação de introduzir a disciplina de empreendedorismo no ensino secundário
“Agora que tenho alguns conhecimentos sobre empreendedorismo vou melhorar o meu negócio na área de comércio e prestação de serviços e transmitir a experiência a outros jovens da minha província”, disse o jovem.
No Cunene, concretamente em Santa Clara, na fronteira com a Namíbia, afirmou, há muitas oportunidades de negócios, mas por falta de conhecimentos os jovens não iniciaram ainda qualquer actividade.

Auxiliar alunos

A professora da disciplina de empreendedorismo do Instituto Médio de Economia do Lubango (IMEL) Uránha Baul garantiu estar preparada para ensinar e auxiliar os alunos a ganharem o espírito de empreendedor e a desenvolvem pequenos negócios de prestação de serviços.
A formação, referiu a professora da disciplina de empreendedorismo, está a ajudar a identificar as oportunidades de negócio.

Tempo

Multimédia