Províncias

ENE aposta na melhoria do fornecimento de energia

Elautério Silipuleni e Carlos Miguel| Ondjiva

A Empresa Nacional de Electricidade (ENE), na província do Cunene, está apostada em melhorar o fornecimento e distribuição de energia eléctrica à população da cidade de Ondjiva e arredores, com a instalação de uma linha de alta tensão a partir da localidade de Onuno, na República da Namíbia.

Central de energia eléctrica instalada no bairro Naipalala, em Ondjiva, que em muito contribui para o aumento da disponibilidade
Fotografia: Venâncio Manuel

A Empresa Nacional de Electricidade (ENE), na província do Cunene, está apostada em melhorar o fornecimento e distribuição de energia eléctrica à população da cidade de Ondjiva e arredores, com a instalação de uma linha de alta tensão a partir da localidade de Onuno, na República da Namíbia.
Os trabalhos em perspectivados para este ano consistem na instalação de novos postos de transporte de energia entre Ondjiva e Onuno (Namíbia), passando por Namacunde e Santa-Clara. A nova linha de alta tensão, com capacidade para 132 megawatts, vai transportar, numa primeira fase, 10 megawatts, uma quantidade suficiente para colmatar o elevado défice de energia eléctrica na cidade e nas localidades de Santa-Clara e Namacunde.
O projecto transfronteiriço vai retirar energia da Namíbia até à subestação eléctrica de Ondjiva, já construída, que vai encarregar-se de transformar a energia de alta para média tensão. O objectivo é elevar a actual quantidade de electricidade recebida de 4 mw para mais de 10 mw, para melhorar a qualidade do serviço fornecido aos consumidores.
Em declarações ao Jornal de Angola, o director provincial da ENE, Silvestre Olim, adiantou estarem a decorrer trabalhos de montagem e colocação dos postes que vão suportar a linha de transporte de energia, garantindo que tudo caminha satisfatoriamente, prevendo-se a sua conclusão dentro de poucos dias. Quando os trabalhos terminarem, Ondjiva e outras localidades vão ter energia eléctrica 24 horas por dia sem qualquer problema, grantiu
"É um grande esforço que a empresa está a efectuar para resolver o problema de energia eléctrica nestas localidades, principais pontos de desenvolvimento da província do Cunene", disse.

Ampliação da rede 
 
Silvestre Olim sublinhou ainda que o seu sector vai estender o fornecimento de energia eléctrica a todos os bairros periféricos da cidade de Ondjiva, como Castilhos, Pioneiro-Zeca, Naipalala, Kafito, Caculuvale e Kashila.
 A capacidade de fornecimento de energia a Ondjiva melhorou consideravelmente nos últimos tempos e a população viu minimizado o problema nas suas casas, o que permitiu também a expansão da rede eléctrica à periferia da cidade, embora sem a qualidade desejável. Sobretudo nas áreas que nunca dela beneficiaram, como os bairros da Kashila e parte do Kafito, Caculuvale e Naipalala. “Hoje, muitos bairros, embora com algumas debilidades, consomem energia eléctrica todos os dias, fruto do aumento da capacidade de abastecimento”, realçou o director provincial da Empresa Nacional de Electricidade, Silvestre Olim.
 
Situação actual  
 
Cada dia que passa, verifica-se um aumento do número de consumidores, devido ao crescimento populacional nos distintos bairros, o que exige maior capacidade de resposta da empresa fornecedora. Durante o ano passado, a ENE instalou cerca de dois mil quadros com sistema pré-pago, que permitem aos clientes pagarem de forma justa a energia que consomem, além de proporcionar à empresa um controlo rigoroso do número de consumidores da cidade. Este ano vão ser instalados mais de 1.500 aparelhos de controlo nos bairros dos Castilhos, Pioneiro Zeca, Naipalala, Kafito, Caculuvale e Kashila.
 “Pensamos que o fornecimento de energia ainda não é suficiente para satisfazer as necessidades dos consumidores, mas com o surgimento de uma outra linha de alta tensão, com maior capacidade, pensamos que vamos cobrir toda a cidade e outros pontos que até agora não têm tifo luz”, afirmou o director.
“Este é um grande projecto da ENE, que vai permitir cobrir todos os pontos da cidade e arredores”, concluiu. 

Cortes constantes 
 
 “A luz é um verdadeiro problema em Ondjiva. Todos os dias tem falhado, principalmente à noite. Isso representa muito perigo para o nosso bairro, porque os bandidos aproveitam para roubar”, lamentou Vasco António, morador do bairro Kashila.
Orlando Domingos, proprietário de um estabelecimento comercial, disse que as constantes falhas têm acarretado grandes transtornos para o seu negócio de comercialização de peixe, frango, carne e refrigerantes. “Com as falhas aqui no bairro do Kafito os nossos produtos acabam por se estragar. E como não podemos vender coisas estragadas, a única solução é deitar fora”, lamentou.
A Empresa Nacional de Electricidade na província do Cunene controla, actualmente, mais de 6 mil consumidores de energia eléctrica, distribuídos em vários pontos da cidade de Ondjiva e arredores.  

Tempo

Multimédia