Províncias

Equipamentos hospitalares estão inoperantes no Cunene

Domingos Calucipa | Ondjiva

Vários equipamentos modernos do Hospital Geral de Ondjiva, na província do Cunene, adquiridos pelo Governo nos últimos dois anos, para a melhoria da qualidade dos serviços hospitalares, encontram-se inoperantes por falta de técnicos especializados.

Vários meios técnicos estão armazenados
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

A informação foi dada sexta-feira pelo director geral daquela unidade sanitária, durante uma visita da recém-nomeada vice-governadora do Cunene para o sector político e social, Albertina José.
Fernando Shomongula disse que o Hospital está equipado com vários meios modernos, como de Tomografia Axial Computorizada (TAC), serviço que requer um médico e pessoal especializado, frorescopia, ecógrafos, raio-x, mas todos sem especialistas capazes de pô-los a funcionar.
Referiu que o grande défice em recursos humanos vive-se nas áreas da imagiologia. “Contamos somente com médicos de clínica geral”, sublinhou o director do Hospital Geral de Ondjiva, acrescentando que o Governo está a trabalhar no sentido do hospital receber, nos próximos tempos, mais médicos de diferentes especialidades.
O responsável disse que a unidade debate-se também com uma gritante falta de fármacos e meios gastáveis.
O Hospital Geral de Ondjiva tem 250 camas, todas elas preenchidas com doentes. As doenças mais frequentes são as do foro respiratório, como a gripe e a pneumonia.
A vice-governadora do Cunene disse que elegeu o Hospital Geral de Ondjiva na sua primeira visita de campo, para se inteirar das  condições de funcionamento, sendo a unidade com maiores responsabilidades na garantia da saúde das populações da província.

Tempo

Multimédia