Províncias

Escola do Evale ficou degradada

Elautério Silipuleni | Ondjiva

A única escola do primeiro ciclo do ensino secundário da comuna do Evale, no município do Cuanhama, precisa de reabilitação. O estabelecimento apresenta avançado estado de degradação, resultado das inundações registadas, nos últimos tempos, na região.

A única escola do I ciclo do ensino secundário da comuna do Evale, município do Kwanhama, na província do Cunene, clama por reabilitação urgente, dado o seu avançado estado de degradação.
As inundações que se fizeram sentir na região, nos últimos tempos, são apontadas como um dos principais factores que causaram a degradação do estabelecimento escolar, como constatou o Jornal de Angola durante a visita que o governador em exercício da província, Cristiano Mário Ndeitunga, realizou à várias infra-estruturas sociais da comuna.
A escola em referência alberga actualmente 248 alunos que, por altura das enchentes, vêm-se impedidos de frequentar as aulas, tendo em conta que a instituição fica praticamente inundada.
No final da visita, o governador em exercício mostrou-se bastante preocupado com o actual estado de dois estabelecimentos escolares da comuna sede destruídas pelas inundações, realçando a necessidade de as mesmas serem reabilitadas de forma imediata, no sentido de evitar que as crianças que nelas estudam corram risco de vida. Nesta altura, segundo Cristiano Mário Ndeitunga, o governo da província está a organizar todo o processo de orçamento para as devidas intervenções nestas duas escolas que, desde a sua criação, têm contribuído para o desenvolvimento da actividade estudantil da comuna.

Carência alimentar

O governante visitou também o centro de saúde do Evale, onde constatou que a instituição atende diariamente 85 pacientes. /> Os serviços desta unidade, com capacidade para 14 camas, são assegurados por 12 enfermeiros. Mário Ndeitunga visitou igualmente as obras de construção da nova administração comunal, em que os trabalhos estão já concluídos, aguardando-se apenas por apetrechamento e inauguração.
As autoridades tradicionais da comuna do Evale manifestaram-se preocupadas com a carência alimentar que aquela comunidade enfrenta actualmente, em consequência da destruição das lavras e suas plantações pelas enchentes que assolaram a região.
Os sobas da comuna apresentaram esta preocupação durante o encontro mantido com o governador em exercício, Cristino Mário Ndeitunga, a quem informaram da necessidade de esforços serem envidados para que esta fase de fome e miséria seja ultrapassada. Segundo as autoridades tradicionais, as inundações comprometeram igualmente o ano agrícola. Por isso, apelam para uma intervenção urgente das entidades governamentais locais para acudir a situação.
Mário Ndeitunge garantiu que o governo provincial vai apoiar as famílias carentes para minimizar os problemas que enfrentam. “Mas, é preciso que se criem cooperativas para servirem as comunidades do Evale, a fim de que as populações não fiquem só à espera do governo”, apelou. A comuna do Evale, que possui cerca de 12 mil habitantes, situa-se no extremo norte da cidade de Ondjiva, capital da província do Cunene, numa distância de 66 quilómetros. Tem uma extensão territorial de 4.021 Km2.

Tempo

Multimédia