Províncias

Falta de chuvas no Cunene provoca baixa na produção

Os níveis de colheita da produção agrícola de 2011/2012 na província do Cunene tiveram uma queda na ordem de mais de 40 mil toneladas, devido à escassez da chuva que se registou na região.

Os níveis de colheita da produção agrícola de 2011/2012 na província do Cunene tiveram uma queda na ordem de mais de 40 mil toneladas, devido à escassez da chuva que se registou na região.
A informação foi avançada pelo director do Instituto de Desenvolvimento Agrário, Porfírio Samaneulo, referindo que a previsão da colheita seria de 72 mil toneladas, mas, devido à escassez de chuvas, só é possível colher cerca de 30 mil toneladas.
A província registou um longo período de estiagem (Setembro de 2011 a Fevereiro de 2012), que destruiu quantidades consideráveis de culturas dos camponeses locais.
“Prevíamos uma colheita bastante satisfatória, a julgar pela preparação de 180 hectares de solos aráveis desbravados e as sementes lançadas à terra”, referiu.
A situação é mais crítica nos municípios de Namacunde, Cahama e Curoca, devido à escassez de água, pondo em risco a vida da população e do seu gado, uma vez que os criadores começaram já o processo de transumância das manadas para áreas com pasto.
 A província do Cunene é potencialmente agrícola.
Pelo menos 91 mil famílias camponesas do Cunene dedicam-se à agricultura, com destaque para o cultivo de cereais como o massango, massambala, milho e leguminosas, segundo o director provincial do Instituto de Desenvolvimento Agrário.

Tempo

Multimédia