Províncias

Falta de hospital preocupa autoridades

Quinito Kanhameni| Ondjiva

A falta de um hospital de referência para os casos de tuberculose na província do Cunene está a preocupar as autoridades sanitárias locais, disse sexta-feira ao Jornal de Angola o supervisor provincial da Saúde, António Messene, por ocasião do Dia Mundial da Tuberculose, assinalado a 24 de Março.

Novos casos de tuberculose foram registados entre os meses de Janeiro e Fevereiro
Fotografia: Eduardo Pedro

   
A falta de um hospital de referência para os casos de tuberculose na província do Cunene está a preocupar as autoridades sanitárias locais, disse sexta-feira ao Jornal de Angola o supervisor provincial da Saúde, António Messene, por ocasião do Dia Mundial da Tuberculose, assinalado a 24 de Março.
A província conta apenas com uma única unidade do género, o Hospital Sanatório do Chiulo, no município de Ombadja, 130 quilómetros a oeste de Ondjiva, razão pela qual o supervisor aponta para a necessidade de se construir mais unidades de referência em várias localidades da região para o tratamento da doença.
O responsável disse que a distância que separa o hospital do Chiulo das restantes localidades, associada à rotura da reserva de medicamentos nos hospitais e centros de saúde para o tratamento da doença, entre outras dificuldades de ordem financeira, sobretudo nas comunidades rurais, têm contribuído para a expansão dos casos. “Muitos doentes acabam mesmo por abandonar o tratamento”, lamentou.
António Messene disse que por falta de estabelecimentos, os doentes com tuberculose são internados no Hospital Geral de Ondjiva e nos centros municipais de saúde em enfermarias devidamente separadas para evitar o contágio a outras pessoas que aí se encontram.
O supervisor acrescentou que outra situação que preocupa as autoridades sanitárias na província tem a ver com o facto de alguns doentes não acatarem os conselhos dos enfermeiros sobre os cuidados a ter em conta, o que põe em risco as pessoas que os rodeiam. “Muitos deles cospem no chão, mesmo nos locais de grande concentração pública”, salientou.
Dados da Direcção Provincial da Saúde revelam que no período de Janeiro e Fevereiro foram registados 61 novos casos de tuberculose em seis unidades hospitalares da região, sem causar óbito.

Tempo

Multimédia