Províncias

Falta de mesada está a preocupar as autoridades

Adelaide Mualimusi | Ondjiva

O número de casos de incumprimento de mesada no Cunene está a assumir contornos preocupantes e já passou a ser uma das principais causas dos conflitos familiares, com 102 das 187 situações de violência doméstica notificadas durante o ano passado.

O número de casos de incumprimento de mesada no Cunene está a assumir contornos preocupantes e já passou a ser uma das principais causas dos conflitos familiares, com 102 das 187 situações de violência doméstica notificadas durante o ano passado.
A directora provincial da Família e Promoção da Mulher, Rosa Gaudêncio, referiu que, a par do incumprimento de mesadas, a província registou ainda 22 ofensas corporais e 21 morais, 14 abandonos do lar, 13 desalojamentos, oito privações de liberdade de bens e um adultério. Dos casos registados, no período em análise, 157 foram resolvidos, 26 encaminhados para a Procuradoria, enquanto outros quatro foram conduzidos para a Direcção Provincial de In vestigação Criminal (DPIC).
Por outro lado, o número reduzido de fiscais do Instituto de Desenvolvimento Florestal no Cunene e de meios de comunicação dificulta a fiscalização da flora na província, declarou à Angop o responsável do sector.
Abel Zamba disse que os 25 fiscais são insuficientes para fiscalizar os seis municípios e que a dificuldade se acentuou nos últimos tempos no Cuvelai, Cuanhama, Cahama e Namacunde.
 “A situaçãotorna-se preocupante por a população persistir em fazer queimadas e abater árvores de maneira indiscriminada”.

Tempo

Multimédia