Províncias

Famílias afectadas pela seca recebem gado

Dionísio David | Ondjiva

Um grupo de 24 famílias das comunas de Humbe, Mucope, Xangongo e Naulila recebeu 65 cabeças de gado bovino, entregues pelo Governo Provincial do Cunene, com vista a minimizar os efeitos da seca.

A seca fez com que a maioria dos criadores perdesse o gado considerado das principais riqueza e base de sustentação das famílias
Fotografia: Francisco Bernardo

O governador do Cunene, António Didalelwa, que presidiu ao acto de entrega, em Xangongo, município de Ombadja, disse que a seca fez com que grande parte dos criadores perdesse a maioria do seu gado, considerado a principal riqueza e base de sustentação das famílias.
António Didalelwa garantiu que o Governo vai envidar esforços no sentido de resolver as preocupações das populações sinistradas, por via de apoio financeiro e material.
O governador manifestou-se solidário com todos aqueles que perderam os seus animais em consequência da seca, garantindo apoio total para que os efeitos do fenómeno sejam mitigados, através de acções e medidas concretas.
Cada família recebeu três cabeças, número que o governador provincial considerou insuficiente para as famílias seleccionadas.

Expansão da rede escolar

O representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) no Cunene, Pedro Kawilila, salientou que, no âmbito das parcerias com o Executivo, a agência das Nações Unidas construiu, nos últimos tempos, mais de 18 salas de aulas e dez escolas, nos municípios de Namacunde, Ombadja e Cuanhama. O programa das infra-estruturas escolares vai continuar em toda a província, tendo anunciado que os projectos em curso terminam antes de Novembro próximo.
Na comuna de Naulila foram construídas duas escolas, com seis salas, o que permitiu que mais de três mil crianças deixassem de assistir aulas em locais impróprios. O   governo  da província pespectiva ainda a construção de mais salas.

Mais saúde em Calueque

A povoação fronteiriça de Calueque construiu de raiz um centro de saúde, com capacidade de 28 camas, no âmbito do Programa de Investimentos Públicos (PIP) e de combate à pobreza. O chefe da Repartição Municipal do Planeamento e Estatística, Faustino Wakusanga, lembrou que a construção do centro de saúde se insere no programa de desenvolvimento rural e de combate à pobreza e custou 35 milhões de kwanzas.

Tempo

Multimédia