Províncias

Fazendeiros do Cunene pedem apoio do Governo

Fazendeiros da província do Cunene solicitam apoio do Governo para a aquisição de fertilizantes, com vista ao in-cremento da actividade agrícola na campanha 2018/2019.

Objectivo é aumentar os níveis de produção nas comunidades
Fotografia: Edições Novembro |

Durante um encontro que juntou empresários de diferentes ramos de actividade, com o governador do Cunene, Vigílio Tyova, os fazendeiros pediram auxílio do Governo, para trabalhar junto do ministério de tutela, para possibilitar a acreditação de empresários como importadores ou mesmo agentes oficiais de venda de imputs agrícolas.
Ao falar em nome da classe, o fazendeiro Francisco Abílio Lumbamba precisou que, por falta de lojas de venda de material agrícola, os camponeses são obrigados a adquirir os fertilizantes e outros meios de combate às pragas na província de Benguela e na vizinha República da Namíbia.
“Os fertilizantes existem em mercados paralelos e nos estabelecimentos comerciais de outras regiões do país, mas os preços são elevados, o que deixa os camponeses sem capacidade de os adquirir”, lamentou. Para contrapor tal situação, o fazendeiro disse que só a acreditação de empresários locais, mediante a política de crédito, poderá responder às necessidades dos camponeses.
O director da Agricultura e Florestas, Pescas e Desenvolvimento Rural, Pedro Tibério, disse à Angop  que, a nível do país, existe um importador nacional, residente em Benguela, legalizado pelo ministério de tutela, para importação de fertilizantes.
Para o Cunene, realçou a possibilidade da acreditação, em 2019, de um agente oficial, revendedor de produtos agrícolas, pelo Ministério da Agricultura.  Como alternativa ao baixo poder de compra dos camponeses, disse que as famílias têm utilizado outras técnicas de produção agrícola, como a utilização de adubo orgânico doméstico.

Tempo

Multimédia