Províncias

Formação profissional foi elogiada por jovens

Jovens residentes em Ondjiva, na província do Cunene, destacaram, na semana finda, as políticas do Governo na expansão de pavilhões e centros de formação técnico-profissional.

Estão disponíveis na região diversos cursos de artes e ofícios
Fotografia: Maria Manuel António João | Edições Novembro

Numa ronda feita pela Angop aos centros de formação profissional públicos existentes em Ondjiva, os jovens foram unânimes, nos seus depoimentos, em dizer que hoje é mais fácil ter formação técnica a título grátis, graças ao Governo, que levou esse ensino a nível dos municípios. Abordado pela Angop, Andrade Haikene, que frequenta o curso de Informática, disse que a formação técnico-profissional contribuiu para a redução da delinquência e de outros males no seio dos jovens, que  antes não tinham o que fazer. Jacinto Aufico, que está a formar-se na área de Gestão de Empresas, disse que, quando terminar, pretende constituir o seu próprio negócio.
Quem partilha do mesmo pensamento é o jovem António Ndahafa, que frequenta o curso de Electricidade, acrescentando que a iniciativa do Governo de construir centros de formação profissional e pavilhões de artes e ofícios é um ganho para a juventude, que hoje, sem qualquer custo, consegue formar-se. A província do Cunene dispõe de dois centros de formação profissional na cidade de Ondjiva e três pavilhões de artes e ofícios nos municípios de Namacunde, Cuvelai e Ombadja.

Micro empresas 


Pelo menos 1.576 micro empresas de diversos ramos de actividade foram criadas até momento na província do Cunene, segundo dados estatísticos do Balcão Único do Empreendedor (BUE).
Trata-se na maioria de recauchutagens, estações de lavagem de carros e salões de beleza, criados por jovens.
Alguns jovens contactados pela Angop referiram que a juventude neste momento tem tudo ao seu dispor para ser empreendedora.

Tempo

Multimédia