Províncias

Formação profissional atrai centenas de jovens

Dionísio David | Namacunde

O responsável do pavilhão de artes e ofícios do município de Namacunde, província do Cunene, disse segunda-feira que continua a registar-se muita procura por parte de jovens de cursos técnico-profissionais, que facilitem a sua rápida inserção no mercado de trabalho.

O curso de serralharia consta entre os mais procurados pelos jovens de Namacunde
Fotografia: Jornal de Angola

Nasário Bartolomeu referiu que a procura pelas artes e ofícios tem a ver com o trabalho de sensibilização que as instituições competentes têm feito junto das comunidades, sobretudo das associações juvenis. Nasário Bartolomeu salientou que a par da formação específica dos jovens que aderem aos vários cursos, o centro tem apostado, nos últimos três anos, na formação de formadores para que estes possam dar cursos noutros centros de artes e ofícios, instalados nos seis municípios da província. O responsável do pavilhão de artes e ofícios disse que este ano a instituição matriculou 157 jovens de ambos os sexos em várias especialidades, com destaque para a electricidade, gestão empresarial, serralharia, informática e inglês.
Nasário Bartolomeu informou à  nossa reportagem que os cursos duram entre três meses e um ano.

Cursos mais procurados


Dos cursos iniciados no primeiro trimestre deste ano, cerca de 90 alunos já concluíram o de informática, a especialidade mais procurada pelos jovens.
Para a segunda fase, disse que estão a frequentar o curso de informática cerca de 80 formandos, a­lém de 57 outros que estudam inglês, electricidade, serralharia e gestão empresarial. A falta de material para a aprendizagem na especialidade de serralharia e electricidade tem dificultado o normal funcionamento da formação, considerou o responsável. Nasário Bartolomeu a­pelou à juventude de Namacunde no sentido de aderir cada vez mais aos cursos de formação profissional a custo zero.

Repercussões no trabalho

Quanto ao aproveitamento dos jovens já com emprego, o responsável do pavilhão de artes e ofícios disse que a avaliação é positiva. Em termos de solicitação de técnicos, as empresas privadas procuram enquadrar no seu quadro de pessoal os jovens formados em áreas de prestação de serviços, como a e­le­ctricidade, serralharia, canalização e mecânica.
O director do pavilhão de artes e ofícios do município de Namacunde disse também estar muito satisfeito pelo empenho demonstrado pelos formandos durante a formação, com realce para as aulas práticas e pela importância que eles dão à formação profissional.

Tempo

Multimédia