Províncias

Formados vigilantes da primeira infância

Adelaide Mualimusi|Ondjiva

Um total de 60 pessoas terminaram na sexta-feira, em Ondjiva, um curso de formação de vigilantes de Infância, que teve a duração de 35 dias.

Um total de 60 pessoas terminaram na sexta-feira, em Ondjiva, um curso de formação de vigilantes de Infância, que teve a duração de 35 dias.
Doravante, os formandos terão a missão de garantir a gestão educativo-pedagógica da primeira infância em vários centros da região.
Promovida pela CARE, em parceria com os ministérios da Assistência e Reinserção Social e Saúde, a formação teve como objectivo principal municiar os vigilantes com ferramentas capazes de garantir a eficácia e eficiência do sistema de gestão educativa e pedagógica, na base do cumprimento dos 11 compromissos da criança.
Durante os 35 dias, os formandos aprenderam questões como “O papel das vigilantes nas actividades dos outros”, “Cuidados a ter na primeira infância”, “Crianças infectadas e afectadas pelo VIH/SIDA”.
Foram também dadas as características das crianças e o seu desenvolvimento, os primeiros socorros e as doenças infantis, as crianças com necessidades especiais, a higiene nas instituições, nutrição, a segurança das crianças nas instituições infantis, a solução dos problemas nutricionais e o aproveitamento dos cursos naturais, entre outros.No encerramento do curso, o director provincial do Minars em exercício, Constantino Lucas Nande, anunciou que a CARE, está a levar a cabo um projecto de construção de oito centros infantis no Cunene. “Por isso, com esta formação, os centros vão gerar emprego”.
A acrescentou que estes quadros vão começar já a trabalhar nesses centros, para desempenharem a importante tarefa de cuidar das crianças.

Tempo

Multimédia