Províncias

Fraca afluência preocupa as autoridades

Dionísio David | Cuvelai

A campanha de vacinação animal no município do Cuvelai, província do Cunene, está a ter uma fraca participação por parte dos criadores de gado, disse ao Jornal de Angola, em Omucolongodjo, a chefe do departamento de Veterinária em exercício.

Animais não vacinados durante a fase da campanha podem contaminar outros
Fotografia: Santos Pedro

Maria Elisabeth disse que a campanha, iniciado em Junho no município do Cuvelai, não atingiu as metas preconizadas, devida à fraca afluência dos criadores às mangas de vacinação, o que está a obrigar a equipa de veterinários a deslocarem-se a outras localidade da província.
Os animais que não forem vacinados podem vir a contaminar outros, daí a necessidade de incentivar a campanha para que possa abranger um maior número possível.
Até ao momento, foram vacinados 15.290, um número muito aquém dos 50 mil previstos para o Cuvelai, situação que preocupa as autoridades, tendo em conta a quantidade de animais existentes na região. Para o êxito da campanha, a direcção da Agricultura colocou dez veterinários no município do Cuvelai. Inicialmente a campanha estava previsto para Fevereiro, mas devido à estiagem que assolou a região nos primeiros meses deste ano, só arrancou em Julho.
 Os animais na localidade  estão a ser imunizados  contra  peripneumonia contagiosa, dermatose nodular, carbúnculo hermético e carbúnculo sintomático.
 Alberto Tchipa disse que, apesar do início tardio da campanha, as autoridades locais vão mobilizar os criadores de gado para afluírem em massa às mangas de vacinação e garantir que metade do gado previsto é imunizado.
 No próximo ano, prevê-se a construção de cinco mangas de vacinação e igual número de tanques de banhos nas comunas de Cubati, Calonga, Canganda, Mupa e Omucolongodjo.

Tempo

Multimédia