Províncias

Governo dinamiza sector agrícola

Elautério Silipuleni | Ombadja

O Governo Provincial do Cunene está apostado em forçar o incremento da agricultura e da indústria, no sentido de torná-las duas das principais áreas para o desenvolvimento social e económico da região.

Numa perspectiva de médio e longo prazo a intenção é produzir para a exportação dos produtos cultivados localmente
Fotografia: José Soares

No âmbito deste programa, as autoridades provinciais do Cunene estão a contar com parcerias privadas, para que a materialização dos programas seja mais abrangente. Nos últimos dois anos, os municípios de Ombadja e Cuvelai, através de investimentos privados, contam com duas fazendas, a Mutu ya Ngandu e Chivemba, que apostam cada uma no cultivo de mais de 700 hectares de milho.
Os esforços e os projectos existentes visam a garantia da segurança alimentar das populações do Cunene e não só, através da produção de milho e de outros bens agrícolas de consumo imediato, assim como no processamento industrial dos excedentes.
Numa perspectiva de médio e longo prazo, a intenção é produzir igualmente para a exportação dos produtos, num esforço de diversificação das fontes de receitas.
O governador da província, António Didalelwa, que efectuou uma visita de constatação do andamento dos projectos de iniciativa privada, sustentou que as autoridades provinciais do Cunene pretendem começar a trabalhar com os empresários que apostam no ramo da produção de bens agrícolas, como milho, feijão e outros cereais.
A ideia é fazer com que os empresários produzam os bens e o Governo adquira a produção para garantir a segurança alimentar. Durante a visita às fazendas dos municípios do Cuvelai e Ombadja, que estão a produzir vários bens, no âmbito da parceria público/privada, António Didalelwa disse que o Governo pretende ter uma reserva que permita combater a fome no período de carência.
A produção de milho feita nas fazendas visitadas é de grande escala, uma vez que permite fazer uma colheita de mais de 3.500 toneladas por cada período de produção. A produção de bens agrícolas está bastante alta para garantir a segurança alimentar na província e permitir que se exporte os produtos para outros pontos do país.
O Governo Provincial do Cunene pretende ainda que a província se torne uma das maiores em produção de milho e outros cereais, com o objectivo de exportar excedentes.

Milho é prioridade


O governador António Didalelwa declarou que, com os projectos das fazendas Mutu ya Ngandu e Chivemba, a província do Cunene marca o virar de uma página na história da agricultura no país. A população do Cunene e das províncias fronteiriças podem, a partir de agora, consumir o milho produzido nas duas fazendas.
“O milho vai permitir melhorar a dieta alimentar de muitas pessoas, o que se traduz num estímulo para a agricultura.
“ Isso tem muita importância, uma vez que a par da produção de cereais, outras acções do género podem ser desenvolvidas na nossa província ”, sublinhou o governador.

Tempo

Multimédia