Províncias

Governo do Cunene lança plano de emergência

Dionísio David | Ondjiva

O Governo Provincial do Cunene lançou um programa de emergência em Ondjiva, destinado a combater os efeitos da seca e da fome, fenómenos que afectam milhares de pessoas e mais de um milhão de animais.

O plano de emergência para travar os efeitos da seca no Cunene contempla a abertura de furos de água para a população e o gado
Fotografia: Jornal de Angola

No programa, apresentado pelo governador António Didalelwa durante um encontro com as autoridades tradicionais dos seis municípios da província do Cunene, figuram um conjunto de medidas para atenuar os efeitos da seca.
Nesta fase crítica, disse o governador, é necessário dialogar e auscultar as autoridades tradicionais, por serem os que têm o conhecimento real da situação e serem fundamentais na prestação de informação. A par do trabalho, até agora realizado pelas administrações municipais, os sobas tiveram um papel importante na identificação das famílias e das áreas mais afectadas pela falta de água e comida.
O governador António Didalelwa anunciou que as medidas constantes do programa de emergência contemplam igualmente a reabilitação dos furos de água existentes em toda a extensão da província. A abertura de mais furos de água, com cerca de 300 metros de profundidade, é outra tarefa, uma vez que os existentes, devido ao abaixamento do lençol freático, já não têm capacidade para fornecer água em grande escala.
O governador realçou a necessidade de se incentivar a assistência médica e medicamentosa às populações afectadas, assim como exigir dos serviços de saúde o tratamento da água, para impedir um surto de cólera nas comunidades.
O gado é uma das principais riquezas da maioria da população, salientou o governador António Didalelwa, razão pela qual é urgente que as administrações municipais e comunais dêem orientações aos criadores no sentido de levarem os animais para as zonas de transumância, como forma de os salvar da seca.
A reabilitação dos chafarizes e a abertura de outros vai ser uma das prioridades do plano de emergência do Governo provincial, assegurou o governador, que garantiu o seu empenho em se continuar a manter o diálogo permanente com as autoridades tradicionais.

Entrega de meios de apoio 

Um total de 208 bicicletas foi entregue pelo governador às autoridades tradicionais, com vista a facilitar as deslocações para as áreas de difícil acesso, durante a recolha de informações sobre a crise junto das comunidades, para posteriormente as canalizarem para as entidades competentes, no sentido de lhes dar resposta. As autoridades tradicionais também receberam bens alimentares, como arroz, feijão, massa, conservas, entre outros, com o objectivo de minimizar as dificuldades que estes sentem a nível das suas famílias.

Tempo

Multimédia