Províncias

Grande procura para poucas vagas nas instituições escolares de Ondjiva

Elautério Silipuleni | Ondjiva

O número de vagas disponível nas instituições escolares da cidade de Ondjiva,  a capital da província do Cunene, para o ingresso no ensino médio e universitário, no presente ano lectivo, é insuficiente a julgar pela quantidade de estudantes que pretendem dar continuidade aos estudos.

A prioridade vai para os alunos menores
Fotografia: Jornal de Angola

O número de vagas disponível nas instituições escolares da cidade de Ondjiva,  a capital da província do Cunene, para o ingresso no ensino médio e universitário, no presente ano lectivo, é insuficiente a julgar pela quantidade de estudantes que pretendem dar continuidade aos estudos.
A reportagem do Jornal de Angola constatou em várias escolas a afluência de estudantes que procuram uma vaga. Responsáveis de estabelecimentos escolares reconhecem haver poucas vagas para atender o grande número de estudantes, devido à escassez de salas. O director adjunto para a área académica da Escola Superior Politécnica de Ondjiva, da Universidade Mandume Ya Ndemufayo, Joaquim Muhala, disse que para o presente ano lectivo a instituição tem disponíveis 260 vagas para os cursos de Biologia, Análise Clínica e Laboratório, Enfermagem e Agronomia, insuficientes para satisfazer a demanda.
Das 260 vagas disponíveis, 140 são destinadas a alunos do curso diurno e 120 para o período pós-laboral. O responsável informou que neste momento decorrem, de forma satisfatória, as inscrições dos candidatos a serem submetidos a exame de aptidão.
O  Instituto Médio de Administração e Gestão de Ondjiva (IMAG), dispõe de 250 vagas para os cursos de Contabilidade, Gestão Empresarial e Secretariado. O sub-director pedagógico da instituição, Gaudêncio Candeeiro, disse que o número de vagas corresponde ao período diurno, lembrando que estão criadas as condições técnicas e humanas para o processo de inscrição dos novos alunos.
A prioridade vai para os alunos com idades compreendidas entre os 15 e 19 anos. Com um total de 73 professores, o Instituto Médio de Administração e Gestão agrega os cursos básicos do primeiro ciclo.
Na Escola de Formação de Professores do Cunene, doutor António Agostinho Neto, a adesão dos estudantes é maior.
Sem avançar o número de vagas disponíveis na escola, Gaudêncio Candeeiro sublinhou que os candidatos vão inscrever-se para as especialidades de Língua Portuguesa, Matemática, Física, Bio/Química, Geo/História e Inglês. Os estudantes que terminaram o ensino médio no ano lectivo 2011, mostraram-se preocupados com a morosidade na entrega dos certificados nas escolas onde concluíram o ensino, correndo o risco de não ingressarem no ensino superior.
Adérito de Assunção conclui no ano lectivo passado a 13ª classe, na escola de formação de professores, mas está agastado com a demora na entrega de certificados, o que está a dificultar inscrever-se na Universidade. “Pretendemos matricular-nos, mas sem documento não é possível. Uma situação bastante constrangedora, já que não há outra saída”, notou.

Tempo

Multimédia