Províncias

Habitantes de Ondjiva sentem frio do Cacimbo

Elautério Silipuleni | Ondjiva

Apesar do cacimbo ter começado oficialmente na terça-feira, o frio em Ondjiva faz-se sentir desde o princípio deste mês, o que está a agitar os cidadãos na procura de agasalhos.

Um pormenor da cidade de Ondjiva
Fotografia: Kindala Manuel

Apesar do cacimbo ter começado oficialmente na terça-feira, o frio em Ondjiva faz-se sentir desde o princípio deste mês, o que está a agitar os cidadãos na procura de agasalhos.
Durante as manhãs e noites, a cidade tem registado, nos últimos dias, temperaturas muito baixas, o que leva muitos habitantes da capital do Cunene a procurar, nas lojas e mercados informais, roupas confortáveis que se adeqúem a esta época, com vista à prevenção das doenças sazonais, como as gripes.
Algumas boutiques trocam as roupas frescas expostas por fatos sociais, calças jeans, casacos, camisas de manga comprida.
Eduardo Miguel, proprietário de uma das boutiques visitadas pelo Jornal de Angola, disse que, tendo em conta a mudança meteorológica, tem à venda na sua loja, desde os primeiros dias do mês, roupas para o frio, numa altura em que a procura aumentou muito.
Há diversidade de roupas, estilos e modelos, para agradar a todos os gostos. “Cada um, de acordo com as suas possibilidades, procura comprar aquilo de que mais gosta ou que lhe assenta melhor para esta época”, disse. Quanto aos preços, Eduardo Miguel referiu que estão todos ao alcance dos interessados, pois estão ajustados aos vários estratos da sociedade.
Nesta altura, em que os cuidados com a saúde são redobrados, os agasalhos são tidos como um dos principais meios para que cada um se proteja das gripes e outras doenças provocadas pelo frio, considerou o funcionário Adão Gregório, que lançou um apelo para, como defendem os especialistas, as crianças merecerem uma atenção redobrada nesta época, por serem os mais frágeis em termos de doenças ocasionadas pelo frio.

Tempo

Multimédia