Províncias

Jovens recebem formação

Elautério Silipuleni | Ondjiva

Ao todo, 1.047 jovens, dos 15 aos 35 anos, foram inscritos em vários centros de artes e ofícios da província do Cunene para frequentarem cursos profissionais do ciclo de formação deste ano.

Número de formandos pode aumentar
Fotografia: Filipe Botelho

Ao todo, 1.047 jovens, dos 15 aos 35 anos, foram inscritos em vários centros de artes e ofícios da província do Cunene para frequentarem cursos profissionais do ciclo de formação deste ano.
A maioria dos candidatos está inscrita nos centros integrados de formação profissional de Ondjiva e os restantes, nos pavilhões de artes e ofícios de Namacunde, de Xangongo e do Kuvelai
Entre os vários cursos, contam-se os de carpintaria, serralharia, alvenaria, electricidade de baixa e de alta tensão, informática, contabilidade e gestão, mecânica auto, corte e costura, decoração, frio e agropecuária.
O ciclo de formação deste ano, aberto na quarta-feira, em Ondjiva, tem o objectivo de dotar os jovens de uma profissão, que lhes permita serem inseridos no mercado de trabalho.
O chefe dos serviços provinciais do Instituto Nacional de Formação Profissional disse que o número de formandos inscritos pode aumentar por ainda haver vagas em algumas especialidades.
Luís de Oliveira lembrou que “a formação profissional contribui para a redução dos índices da pobreza e da fome, criando o sustento do indivíduo e da família e promovendo a valorização do capital humano que é base de um crescimento económico sustentável”.
Ambrósio Hisiduavali, em representação do administrador municipal do Cuanhama, afirmou que as acções de formação pretendem, em primeira instância, banir o desemprego, a miséria e a preguiça entre a juventude da província, dando-lhes oportunidade de formação profissional.

Tempo

Multimédia