Províncias

Jovens apostam no empreendedorismo

Dionísio David | Namacunde

O Balcão Único do Empreendedor (BUE) do município de Namacunde, província do Cunene, registou desde o seu surgimento em finais de 2012, um considerável número de cidadãos, na sua maioria jovens, que procuram obter financiamento para começar um negócio nas diferentes áreas da vida económica, informou o coordenador local da instituição, Felisberto Muetufena.

Criadas empresas de prestação de serviços no âmbito do programa de combate ao desemprego
Fotografia: Jornal de Angola

O responsável disse ao Jornal de Angola que, de Março a Agosto do ano em curso, foram registados 924 processos, na sua maioria pertencentes a jovens de 18 a 30 anos, interessados em entrar no mundo dos negócios e criar pequenas empresas. Felisberto Muetufena garantiu que, apesar do processo ter conhecido algum atraso no que respeita à disponibilidade financeira por parte dos bancos, a sua instituição tudo tem feito para que, a breve trecho, todos os inscritos tenham a sua situação resolvida.
Quanto ao tipo de actividades económicas que os jovens se propõem a realizarem, disse que grande parte dos interessados tem a atenção virada para o comércio e nalguns casos para a agricultura e salões de beleza.
No início do processo a nível do município houve algumas dúvidas por parte de alguns jovens sobre os mecanismos de empréstimo de dinheiro por parte dos bancos. Pois, disse, pensava-se que o BUE era a instituição vocacionada a proporcionar os financiamentos, mas muito cedo as dúvidas foram esclarecidas. O responsável referiu que dos processos até agora registados quer a nível individual como a nível de pequenas empresas existentes no município, não houve ainda nenhum projecto financiado, porque os processos foram remetidos no fim do exercício do ano económico de 2012. A coordenação do BUE trabalha com os bancos com vista a solucionar as questões técnicas ainda pendentes, sobretudo a actualização do sistema que permite a inserção dos processos e consequentemente o financiamento.
Devido à morosidade no tratamento desta questão assiste-se nos últimos tempos maior pressão por parte dos requerentes, ansiosos por exercer a sua actividade, referiu. Por esta razão, aquele responsável aproveitou a oportunidade para pedir maior compreensão e paciência a todos. O coordenador do BUE apelou à juventude no sentido de seguirem o programa, com vista a obterem financiamentos que permitam consolidar o crescimento das suas empresas e criar empregos.
A Administração Municipal tem vindo a fazer um trabalho de mobilização, junto das autoridades tradicionais, no sentido de envolver  também neste programa do BUE jovens que revelem iniciativas, para que os projectos tenham igualmente espaço nas zonas rurais, referiu Felisberto Muetufena.

Tempo

Multimédia