Províncias

Kwanhama reforça medidas de saneamento básico

Quinito Kanhameni | Ondjiva

A Administração Municipal do Kwanhama promove hoje, na cidade de Ondjiva, província do Cunene, uma mega campanha de recolha de lixo, para a melhoria da imagem da urbe e evitar a propagação de doenças.

Durante a mega campanha as autoridades do município vão contar além da participação da população com empresas públicas e privadas
Fotografia: Rogério Tuti | Edições Novembro

O chefe em exercício da Repartição do Saneamento Básico e Espaços Verdes da Administração do Kwanhama, Ernesto Daniel Sanguito, disse ao Jornal de Angola que, para o êxito da campanha, foram mobilizados efectivos da Polícia Nacional e das Forças Armadas Angolanas (FAA), militantes da JMPLA, da Organização da Mulher Angolana (OMA) e sociedade civil.
Trata-se de uma campanha alargada, da qual também farão parte empresas públicas e privadas, como a CRBC chinesa, Lumbamba, INEA, Sapalalo, Tulunga, Bololo e Seleva. Todas estarão munidas com meios, como tractores e camiões basculantes para evacuação dos resíduos sólidos.
Ernesto Daniel recordou que se trata da segunda campanha promovida pela  administração este ano, referindo que a primeira abrangeu os bairros Naipala e Okakuluvale I e II, tendo-se registado uma fraca adesão dos munícipes.
Para esta campanha, o responsável espera pela presença de uma boa moldura humana, que se vai desdobrar nos bairros de Ondjiva e acredita recolher cerca uma centena de toneladas de resíduo sólidos, a julgar pelos meios técnicos colocados à disposição das autoridades locais.
Uma nota da Administração Municipal do Kwanhama, a que o Jornal de Angola teve acesso, refere que, durante o período da campanha de recolha lixo, os taxistas não poderão circular nas principais artérias da cidade, devendo, para tal, utilizar outras vias.
Além dos taxistas, sublinha o documento da administração municipal, também ficam privados das suas actividades, durante horas, os proprietários dos estabelecimentos comerciais, hoteleiros e similares, assim como os mercados formais e informais, no sentido de evitar-se transtornos durante o período da campanha de resíduos sólidos.
Os trabalhos de abertura do aterro sanitário na localidade de Okapanda, a 15 quilómetros a norte de Ondjiva, ficam concluídos em breve. O chefe em exercício da Repartição do Saneamento Básico e Espaços Verdes da Administração do Kwanhama, Ernesto Daniel, disse que enquanto se aguarda pela conclusão das obras, o depósito do lixo é feito numa vala provisória, preparada para o efeito.

Falta de contentores


A grande preocupação de momento, segundo o responsável, tem a ver com a falta de contentores, pois, referiu, os que existem estão muito aquém das necessidades para o depósito de lixo na cidade de Ondjiva e, na sua maioria, devem ser substituídos com urgência.
Ernesto Daniel reconhece que tal situação tem contribuído para que populares deitem o lixo ao chão, o que obrigou que fossem construídos pontos de transferência de resíduos em alguns bairros, para permitir a recolha e a posterior evacuação pelas empresas prestadoras de serviço.
O responsável da administração lamentou a fraca colaboração dos munícipes no cumprimento das normas estabelecidas pela administração, como, por exemplo, queimar os resíduos sólidos no horário para o depósito de lixo.
Mas, apesar disso, Ernesto Daniel acredita que a situação venha a conhecer melhorias nos próximos dias, quando for concluído o estudo, pelo governo provincial do Cunene, do novo método de recolha de lixo porta-a-porta.

Tempo

Multimédia