Províncias

Lojas abastecidas para quadra festiva

Paulino Capusso | Ondjiva

Os principais estabelecimentos comerciais de Ondjiva, capital do Cunene, têm produtos suficientes para abastecer a população durante a quadra festiva.

Na altura do Natal supermercados registam enchentes
Fotografia: Jornal de Angola

Os principais estabelecimentos comerciais de Ondjiva, capital do Cunene, têm produtos suficientes para abastecer a população durante a quadra festiva.
No supermercado Shoprite existe de tudo um pouco para atender a população do Cunene, nesta época natalícia.
O objectivo reside em colocar os produtos indispensáveis para evitar que as pessoas se desloquem à Namíbia, onde, nesta altura do ano, há longas filas para carimbar os passaportes. Panduleini Emanuel Santos, responsável de armazém e stock do supermercado em Ondjiva, disse que a grande superfície comercial está preparada para suportar a procura.
Neste momento, a empresa dispõe de duas viaturas em Luanda e África do Sul a descarregarem mais produtos para a quadra festiva.
“O estabelecimento conta com mais de mil produtos diversos. Por isso, considero ser desnecessário os cidadãos deslocarem-se à Namíbia para adquirir produtos para consumo nesta altura”, reiterou.
No estabelecimento sul-africano PEP, que abriu ao público há dois meses em Ondjiva, pode-se comprar brindes, calçado, roupa para todas as idades e bolsas, garantiu o gerente João Carlos.
O responsável afiançou que o estabelecimento comercial aguarda, dentro de dois dias, a recepção de mais mercadorias provenientes da província de Benguela, como intuito de satisfazer a procura dos clientes durante a quadra festiva.
Relativamente aos preços praticados pela empresa, sustentou serem acessíveis. Não foram aumentados e estão em promoção vários produtos, de modo a garantir um Natal feliz a todas famílias.
Fernanda Kamosso, dona de casa, confirma a existência de muitos produtos que estão a ser comercializados a preços aceitáveis e ao alcance de todos, sem necessidade de se recorrer ao mercado namibiano para fazer compras.
“Nesta altura do ano há muitas enchentes na fronteira. Há muitas dificuldades para se carimbar o passaporte naquele país. O dólar namibiano subiu. Uma nota de mil está cotada em 1.600 kwanzas. É muito complicado para quem só pretende comprar uma lâmina de peixe fresco para consumo”, lamentou.

Tempo

Multimédia