Províncias

Lubango e Menongue estão mais perto

Domingos Mucuta| Menongue

A reabilitação de 480 quilómetros da Estrada Nacional número 208 reduziu o tempo de viagem entre a cidade do Lubango e a de Menongue, disseram ontem ao Jornal de Angola motoristas e passageiros que frequentam a via.

Uma viagem que no passado demorava uma semana passou a ser feita em sete horas fruto da reabilitação da Estrada Nacional
Fotografia: Jornal de Angola

A reabilitação de 480 quilómetros da Estrada Nacional número 208 reduziu o tempo de viagem entre a cidade do Lubango e a de Menongue, disseram ontem ao Jornal de Angola motoristas e passageiros que frequentam a via.
 A distância entre as duas cidades, separadas por cerca de 550 quilómetros, antes percorrida em mais de uma semana, devido ao mau estado da via, é agora feita com fluidez em cerca de sete horas.
 A reportagem do Jornal de Angola constatou que dezenas de viaturas transitam no troço todos os dias. O trajecto entre a cidade do Lubango e o município de Kuvango, na Huíla, está reabilitado e é feito com comodidade em três horas.  Do Cutato à sede municipal do Cuchi, no Kuando-Kubango, decorrem as obras de reabilitação dos restantes 65 quilómetros, a cargo da empreiteira brasileira Zagop, que neste momento realiza trabalhos de terraplenagem e compactação dos solos, para a colocação do asfalto.
 Homens e máquinas estão empenhados, dia e noite, na execução da obra para a conclusão do troço antes do final do corrente ano, de uma via que é fundamental para as trocas comerciais no corredor entre as províncias do Kuando-Kubango, Huíla e Namibe.  Os automobilistas e passageiros acreditam que a conclusão das obras, em curso nas estradas, e a edificação de novas pontes no trecho vai reduzir ainda mais o tempo de viagem para cerca de cinco horas nas ligações entre Menongue e Lubango. “As obras estão a decorrer muito bem. Penso que em breve estes trabalhos ficam concluídos. Depois disso, a viagem vai ser mais rápida e confortável”, afirmou o taxista Mário Júlio.
 Mário Júlio lembrou que antes era arriscado realizar trabalho de táxi até à cidade do Menongue devido aos buracos na via. O antigo motorista acrescentou que os serviços de transporte de pessoas e mercadorias eram realizados por camionistas.  A vendedora Maria Matenda sublinha que a conclusão total da estrada é aguardada com grande expectativas pelos passageiros que viajam nos dois sentidos, porque vai baixar o preço dos fretes e das mercadorias.
A comerciante lembrou que actualmente os taxistas cobram por uma corrida cerca de oito mil kwanzas, do Lubango a Menongue.  “Acho que isso acontece porque contornamos a estrada para seguir a picada da linha férrea do Kuvango ao Cuchi, mas acredito que tão logo terminem as obras, o preço do frete pode ser menos de oito mil kwanzas. A redução dos preços beneficia as pessoas que precisam de visitar regularmente a família”, concluiu.  As estradas entre Cuchi e Menongue, numa extensão de 93 quilómetros, entre Menongue e Caiúndo, 133 quilómetros, e entre Menongue e o rio Cuelei, 75 quilómetros, estão asfaltadas e foram inauguradas recentemente pelo ministro do Urbanismo e Construção, Fernando Fonseca.

Tempo

Multimédia