Províncias

Mais energia eléctrica em Menongue

Cláudia Muhatili | Menongue

Na cidade de Menongue e em bairros periféricos foram feitas desde Abril 1.739 ligações domiciliárias da rede de distribuição de baixa tensão, garantiu a directora provincial de Energia e Águas do Kuando Kubango .

Um ângulo da cidade de Menongue onde o projecto de ampliação da rede de distribuição de energia prevê novas ligações domiciliárias
Fotografia: Jornal de Angola

Adélia Muambeno afirmou que desde Abril do ano passado até a­gora a Direcção Provincial também instalou 69 postos de transformação (PT), com alimentação as­segurada por quatro grupos geradores, com capacidade para 1.7 mega watts.
O projecto de ampliação da rede de distribuição de baixa tensão, disse, prevê 12 mil novas instalações domiciliárias que vão beneficiar mais de 180 mil habitantes de Menongue e arredores.
O novo projecto de distribuição de energia vai contribuir para o reforço de diversos serviços, principalmente industriais, entre os quais se contam moageiras, carpintarias, serralharias, oficinas, câmaras frigoríficas, além de estabelecimentos comerciais.
Adélia Muambeno declarou que a distribuição da rede de média tensão vai ser constituída por 16 PT de 630 KVA e três de 250 KVA instalados na periferia de Menongue.
 Noutras zonas da província estão a ser construídos 31 PT de 250 KVA, o que permite 12 mil ligações domiciliárias. O projecto, referiu, prevê igualmente cerca de 70 quilómetros de rede de distribuição de média tensão e de 30 para iluminação pública. Estes serviços são assegurados por 17 mega watts da nova e da antiga central térmica da cidade de Menongue.
A responsável salientou que a e­xecução do projecto de instalação e ampliação da rede de distribuição de média e baixa tensão, orçada em 5,3 mil milhões de kwanzas, está concluída em 24 meses.
 A Direcção Provincial de Energia e Águas, segundo  Adélia Muambeno, arrecada mensalmente mais de cinco milhões de kwanzas provenientes do pagamento do consumo de do produto nos municípios de Menongue, Cuangar, Calai e Dirico.
Actualmente, afirmou, há mais consumidores que perceberam que têm de pagar para terem um serviço melhor, o que permite a aquisição regular de combustível e de equipamentos de manutenção.
A directora provincial frisou que a direcção da Energia e Água tenciona desenvolver nos próximos tempos os serviços pré-pagos nos municípios de Menongue, Cuangar, Calai e Dirico para haver melhor controlo no pagamento do produto consumido.
Quanto à qualidade da energia, disse que “passa necessariamente por uma rede bem estruturada e pela comparticipação dos cidadãos na conservação e no pagamento da energia que consomem”.
A directora provincial da Energia e Água para que outros consumidores ajudem na melhoria da distribuição, através do pagamento.

Tempo

Multimédia