Províncias

Melhorado fornecimento de energia

Adelaide Mualimusi | Ondjiva

O governo da província do Cunene está a apostar, desde o princípio do ano, no reforço e expansão da rede de fornecimento e distribuição de energia eléctrica aos bairros periféricos da cidade de Ondjiva.

Energia eléctrica deixou de ser problema
Fotografia: José Cola |

O projecto resulta da entrada em funcionamento da central eléctrica do Naipalala, com capacidade de 10 megawatts, e do aumento da quantidade de energia proveniente da vizinha Namíbia, de seis para oito megawatts, e está integrado no Programa de Investimentos Públicos que permitiu o melhoramento da qualidade da energia.
Com a entrada em funcionamento da nova fonte de produção, os habitantes dos bairros Castilhos, Pioneiro Zeca, Cashila III e Onahumba vêem a sua condição de vida melhorada.
O director provincial da Energia e Água do Cunene, João Borges, disse que neste momento a província tem disponíveis 18 megawatts e está a consumir apenas dez, pois estão em curso trabalhos de conclusão da rede. João Borges salientou que os bairros Pioneiro Zeca e Castilhos estão a beneficiar da energia proveniente da Namibia, a mesma que sustenta a rede de iluminação pública da cidade, enquanto as zonas das Cashila III e Onahumba beneficiam da energia dos grupos geradores.  As obras da substituição da velha rede eléctrica, bem como a iluminação pública, estão a cargo da empresa Omatapalo, que já instalou 264 postes de iluminação pública e 327 novas ligações domésticas.
“Para uma melhor distribuição de energia eléctrica, foram adquiridos grupos geradores para que a província deixe de depender totalmente da energia proveniente da vizinha Namíbia”, disse João Borges, que acrescentou estar toda a linha obsoleta a ser substituída, “devido aos enormes constrangimentos aos consumidores, dada a sua baixa qualidade”.  
Edmundo Isinduavali, residente no bairro dos Castilhos, recordou as dificuldades que passou devido à falta de energia eléctrica. “No passado não conseguíamos conservar nada e muito menos beber água fresca”.
Maria Isabel, moradora no bairro Cashila III, disse que no passado não havia energia e por isso a situação era complicada. “Agora, com a colocação dos novos postos de alta tensão, estamos felizes, porque houve melhoria substancial no fornecimento deste bem público.”

Tempo

Multimédia