Províncias

Milhares de habitações são pulverizadas em municípios da província do Cunene

Adelaide Mualimusi| Ondjiva

Mais de 16 mil habitações dos municípios do Cuanhama e Namacunde, na província do Cunene, vão ser pulverizada durante a quinta fase da campanha residual intra-domiciliar a decorrer nos próximos dias, anunciou em Ondjiva a gestora do projecto.

Campanha de pulverização arranca dentro de dias em Cuanhama e Namacunde
Fotografia: Jornal de Angola

Mais de 16 mil habitações dos municípios do Cuanhama e Namacunde, na província do Cunene, vão ser pulverizada durante a quinta fase da campanha residual intra-domiciliar a decorrer nos próximos dias, anunciou em Ondjiva a gestora do projecto.
Judite Balanze salientou que a campanha de pulverização, que é uma iniciativa do Programa Nacional do Controlo da Malária, com o apoio da Agência Norte-americana para o Desenvolvimento (USAID), vai ter a duração de 30 dias e envolve 125 operadores e 52 mobilizadores.
O programa, incrementado pelo Instituto Triangular de Pesquisa da América em parceria com a direcção provincial da Saúde, já começou a ser preparado há cerca de três semanas e está neste momento a beneficiar as casas não abrangidas na fase anterior.
Judite Balanze disse que a pulverização vai permitir a redução da malária na base de dados epidemiológicos, em relação aos anos anteriores.
A responsável referiu que a coordenação do projecto espera que as pessoas obedeçam às normas e cuidados a ter em conta antes, durante e depois da pulverização. />Esta campanha está a ser levada a cabo pelo facto da malária continuar a ser a principal causa de mortalidade e internamentos a nível do país e do Cunene, em particular, disse o director provincial exercício da Saúde, Celestino Mukwambi. Além da pulverização, a campanha envolve outras medidas, como o reforço institucional, diagnóstico, tratamento e abastecimento em medicamentos, controlo integrado do vector (mosquito), previsão, detecção, prevenção e controlo das epidemias, a par da informação e educação das populações.
O administrador municipal do Cuanhama, José Veyelenge, pediu a colaboração da população, para que a campanha ajude a reduzir o índice de mortalidade por malária. O Ministério da Saúde, através do Programa Nacional da Malária, elaborou, em 2011, um plano quinquenal para a redução da mortalidade por malária, com medidas preventivas, entre elas a pulverização residual intra-domiciliar, o uso de mosquiteiros tratados com insecticidas de longa duração, a luta anti-larval e o reforço do saneamento básico.

Tempo

Multimédia