Províncias

Moradias em construção prontas dentro do prazo

Elautério Silipuleni | Mokolongondjo

As obras das primeiras cem casas, de um total de 200, iniciadas em Março, no município do Cuvelai, província do Cunene, no quadro do programa habitacional, encontram-se em fase avançada e os trabalhos vão ficar concluídos até ao fim de Julho.

As obras das primeiras cem casas, de um total de 200, iniciadas em Março, no município do Cuvelai, província do Cunene, no quadro do programa habitacional, encontram-se em fase avançada e os trabalhos vão ficar concluídos até ao fim de Julho.
O governador da província, António Didalelwa, constatou ontem, no local, o andamento das obras e recebeu garantias dos empreiteiros quanto ao cumprimento dos prazos estabelecidos.
As moradias estão a ser projectados, numa primeira fase, numa área de 12 hectares, onde já foram feitos os trabalhos de desminagem, limpeza e loteamento dos terrenos. Os 12 hectares vão ser a­mpliados em função das necessidades e das exigências do programa de construção.
O governador disse que o projecto vai ajudar a diminuir a falta de habitações no município, principalmente para os quadros do Cuvelai. Com a conclusão dos 200 fogos habitacionais, o município vai passar a ter uma outra imagem e a vida das populações vai melhorar, uma vez que o projecto também contempla a construção de uma escola, creche, centro médico e espaços verdes.

Estrada em mau estado

A estrada que liga Ondjiva a Mu­kolongondjo, sede do município do Cuvelai, está neste momento a receber trabalhos de restauro. A empreitada está a cargo da empresa AFA que, nesta altura, realiza tra­balhos em locais considerados críticos, onde as obras consistem em terraplanagem e colocação de passagem hidráulicas.
O governador do Cunene, que percorreu os 178 quilómetros e visitou o estaleiro da empresa encarregue da reabilitação da via, pediu à empresa para realizar os trabalhos com maior celeridade e cumprir os acordos contratuais.O município de Cuvelai é constituído administrativamente por quatro comunas – Calunga, Cubati, Mupa e Mukolongondjo – e a população dedica-se à agricultura.

Tempo

Multimédia