Províncias

Mordeduras de cães provocaram mortes

Adelaide Mualimusi | Ondjiva

O chefe dos Serviços de Veterinária, João Camalanga, disse ontem, ao Jornal de Angola, que de Janeiro a Dezembro do ano passado, morreram 92 pessoas no Cunene, vítimas de mordeduras de animais vadios, de um total de 394 casos registados pela Direcção Provincial da Saúde.

Defendida a intensificação das campanhas de vacinação de animais na província
Fotografia: Jornal de Angola

Para evitar esta situação, João Camalanga defende a intensificação das campanhas de vacinação anti-rábica e a recolha coerciva de animais vadios. ”Muitas famílias criam animais, como cães, gatos e macacos, mas esquecem-se, ou ignoram, que têm de criar as condições necessárias para os manterem”, disse, acrescentando que a maioria dos casos de mortes aconteceu no hospital de Engela, na Namíbia, aonde as vítimas se deslocaram à procura de tratamento.
“Não obstante os meios avançados utilizados nos hospitais da Namíbia, uma mordedura de cão raivoso é, sem dúvida, um óbito confirmado”, realçou.
Por isso, aconselhou a população a conhecer os cuidados a ter antes de criar um animal doméstico, para se evitarem doenças e mortes.

Tempo

Multimédia