Províncias

Namacunde regista avanços significativos

Dionísio David | Namacunde

O município de Namacunde, na província do Cunene, tem vindo a registar nos últimos tempos avanços significativos, com o sector da construção a ganhar cada vez mais protagonismo.

Estão a ser reabilitadas e construídas na região mais infra-estruturas de impacto social para melhorar a qualidade de vida da população
Fotografia: Maria Augusta

O único senão é a falta de bancos, para que a população possa efectuar as suas transacções monetárias, sem ter de percorrer longas distâncias.
As infra-estruturas erguidas nos últimos cinco anos, no âmbito do Programa de Investimentos Públicos, bem como o programa de intervenção municipal melhoraram a imagem da sede de Namacunde e das vilas adjacentes.
O jovem Miguel Cabinda, funcionário da agência do BCI, único balcão existente na sede de Namacunde, disse estar satisfeito com o rápido crescimento do município, mas sugere que este deve estar acompanhado com o surgimento de outros sectores, sobretudo mais bancos, para que os serviços de atendimento sejam cada vez mais céleres, de modo a facilitar a vida das populações.
Miguel Cambinda afirmou que na sede do município só existe uma agência do BCI, onde o serviço de atendimento é limitado, por ser pequena e só atender clientes com contas na instituição, além de não dispor de serviços de multi-caixa. Para situações de emergência os moradores e funcionários são obrigados a percorrer uma distância de dez quilómetros até Santa-Clara, muitas vezes para levantar 2.000 ou 5.000.00 kwanzas. A jovem Juliana Haikale, 20 anos, estudante do ensino médio, disse que a construção de mais bancos na sede de Namacunde, além de ser uma mais-valia, vai facilitar a vida nas comunidades locais, no que se refere às transacções, evitando a ausência de funcionários no local de trabalho por muitas horas. Juliana defendeu a instalação com urgência do Banco de Poupança e Crédito, por ser aquele que mais clientes possui a nível do município.
O administrador municipal de Namacunde, Apolo Ndinoulenga, disse à nossa reportagem que está previsto, numa primeira fase, a construção do Banco de Poupança e Crédito na sede do município, cujo terreno já foi disponibilizado ao empreiteiro.
Contactos avançados existem com o banco BIC, para, no âmbito da ampliação do novo mercado municipal, ser colocada  uma agência para atender os vendedores e prestar serviço às populações da região, segundo o administrador.

Tempo

Multimédia