Províncias

Novas vagas na província do Cunene

Elautério Silipuleni | Ondjiva

A Direcção Provincial da Educação, Ciência e Tecnologia no Cunene vai promover nos próximos dias um concurso público para admissão, ainda este ano, de 839 novos quadros, para o preenchimento de lugares nas escolas dos seis municípios da província, informou na quinta-feira, em Ondjiva, o responsável daquele sector.

Há escolas com necessidade de professores
Fotografia: Paulo Mulaza

Lúcio Ndinoiti disse que estão disponíveis na província vagas para professores de diversos escalões, entre auxiliares e diplomados, para o ensino primário e secundário.
Das vagas existentes, esclareceu, 28 são destinadas a professores do II ciclo do ensino secundário diplomados do 6º escalão, 90 para professores do II ciclo do ensino secundário diplomados do 8º escalão e 230 para professores do I ciclo do ensino secundário diplomados do 6º escalão.
Lúcio Ndinoiti disse igualmente que constam ainda 140 vagas para os professores do ensino primário diplomados do 6º escalão, assim como 102 para professores auxiliares do ensino primário, totalizando 590 do regime específico.
Para o regime geral, foram disponibilizadas 15 vagas para técnicos médios de 3ª classe, seis para motoristas ligeiros de 2ª classe, 105 para auxiliares de limpeza e 129 para operários qualificados.
Para o efeito, referiu, foi criado um corpo de júri para atender o processo de ingresso, cuja prioridade recai para os candidatos apurados no concurso de 2014, que deverão apenas actualizar a documentação.Lúcio Ndinoiti disse que, em função das necessidades no meio urbano e rural, a comissão do júri afixou já nas administrações municipais as regiões onde há escolas com necessidade de professores.
 Segundo o director, os candidatos admitidos para o ensino primário serão colocados prioritariamente nas localidades do interior da província, uma vez que várias escolas do meio rural dispõem apenas de um ou dois professores, número insuficiente para atender à procura.
“Apesar do número de vagas ser ainda insuficiente para as necessidades do sector da Educação na província, o enquadramento dos novos professores ajudará a reduzir a carência de docentes na região”, salientou Lúcio Ndinoiti, para quem o sector está empenhado na resolução da falta de professores.

Tempo

Multimédia