Províncias

Novos casos de lepra registados no Cunene

Adelaide Mualimusi | Ondjiva

As autoridades sanitárias do Cunene registaram este mês dois novos casos de lepra, no município do Cuanhama, revelou em Ondjiva, o supervisor provincial do programa de luta contra a doença e da tuberculose.

António Messene disse que os recentes casos de doença registados no princípio deste ano juntam-se aos outros seis diagnosticados na mesma municipalidade e à mais sete, em Ombandja, perfazendo um total de 15 doentes novos.
O supervisor provincial do Programa de Controlo da Lepra e Tuberculose afirmou que a instituição decidiu pôr fim ao funcionamento da leprosaria local, de modo que os pacientes não se sintam discriminados.
Em função disso, neste momento, os doentes de lepra estão juntos das suas famílias a cumprir o tratamento, embora com o acompanhamento dos especialistas da saúde.
António Messene considerou que os doentes estão numa fase de recuperação satisfatória, tendo  lembrado que, para a cura, os mesmos devem fazer um tratamento num período entre seis e 24 meses. Acrescentou que, para a prevenção da enfermidade, o sector da Saúde prima pela contínua realização de acções de sensibilização sobre os sinais, sintomas e cuidados a ter com a doença. António Messene disse que a lepra é uma doença infecciosa, causada pelo bacilo “Mycobacterium leprae”, que afecta os nervos, a pele e provoca danos severos.
Por isso, apelou a população para, em caso de notarem sinais de género em alguém, procurarem com urgência os serviços de saúde.
O supervisor António Messene aconselhou ainda os antigos doentes da lepra a não consumirem bebidas alcoólicas, nem fazerem o uso de tabaco, no sentido de evitarem recaídas e voltarem ao internamento.

Tempo

Multimédia