Províncias

Número de activistas aumenta na região

Cerca de 400 novos activistas voluntários estão ao dispor da Direcção Provincial da Saúde do Cunene, desde sábado, para reforçar as acções de sensibilização e educação das comunidades sobre os métodos de prevenção e contágio do vírus da Sida.


O grupo de activistas tem a missão de ir ao encontro das pessoas nas escolas, igrejas, praças e nas zonas rurais mais distantes para passar informações educativas no quadro do combate ao VIH e Sida.
Durante a apresentação dos activistas, o coordenador do grupo teatral “Omalã Veto Veya” da província do Bié, Dino Quibato, disse que a associação surgiu graças a uma campanha de sensibilização e mobilização que se realizou desde o mês de Abril.
Durante o período de sensibilização e de inscrição de novos activistas, conseguiu-se realizar palestras para 6.253 pessoas sobre os métodos de prevenção do VIH e Sida, tuberculose, malária, febre-amarela, entre outras enfermidades.  As acções de sensibilização foram realizadas nos municípios do Namacunde, Ombadja, Cuanhama, Cuvelai e Cahama. O chefe de departamento da saúde pública e controlo de endemias no Cunene, Félix Satyohamba, disse que o sector ganha um maior impulso no que diz respeito às acções de massificação de informações educativas ligadas ao combate do VIH/Sida.
A doença tem vitimado muita gente, sobretudo na África Austral, daí ser necessário dar mais informações às pessoas, no sentido de conhecer o que é a Sida, formas de transmissão e tratamento, para melhor se prevenirem. O grupo teatral “Omalã Veto Veya” foi fundado em 2003, no Bié, e já desenvolveu acções do género em 16 províncias do país, contando com o apoio das direcções provinciais da Saúde e das administrações municipais.

Tempo

Multimédia