Províncias

Número de padarias aumenta em Ondjiva

Adelaide mualimusi | Ondjiva

A indústria panificadora na capital da província do Cunene está a ganhar espaço nos últimos tempos com a abertura de novas padarias e aumentando a oferta de pão.

Recorrer à vizinha Namíbia para comprar pão daquele país está a deixar de ser um hábito, antes inevitável, porque o produto já pode ser comprado nas padarias da cidade.Hoje, a capital da província conta com sete pequenas unidades de produção de pão, três das quais abertas nos últimos cinco meses, que estão a conseguir dar resposta às necessidades do mercado.
A preocupação dos habitantes tem sido os preços praticados, considerados elevados. Quase todas elas fabricam carcaças, com entre 90 a 100 gramas, a 15 kwanzas.
O gerente Ruben Emanuel da padaria Homunguete, situada no bairro Kafitu, onde existe há mais de 12 anos, disse que o preço do pão em Ondjiva tem sofrido algumas alterações devido à procura, apesar do surgimento de mais padarias na região.
O responsável afirmou que antes a população do Cunene comprava o pão e muitos outros produtos na vizinha Namíbia, “e foi por isso que resolvemos abrir a padaria, com a carcaça a 12 kwanzas cada. Mais tarde, como havia muita procura, resolvemos aumentar para 15 kwanzas, com uma produção diária de 12 mil pães”.
No entanto, adiantou que com o surgimento de mais panificadoras, a direcção da padaria tenciona voltar ao anterior preço de 12 kwanzas, uma vez que a concorrência é maior e a clientela diminuiu significativamente.
Na padaria Confiança, no bairro Naipalala, a sua responsável, Gisela Ermelinda, disse que têm feito vários tipos de pão, com preços variados, mas a carcaça é o mais procurado e custa 15 kwanzas, o mesmo preço praticado por outras panificadoras.
Além disso, produz pão doce, vendido a 200 kwanzas, pão de forma, integral e trança. A gerente afirma que os oito mil pães feitos diariamente são todos vendidos e os clientes têm elogiado muito a qualidade dos produtos.No entanto, tem enfrentado várias dificuldades, devido à falta de água. “Temos comprado o tanque de 2.500 litros de água por 2.500 kwanzas, o que faz reduzir o nosso lucro, tendo em conta os gastos na compra de outros produtos e o pagamento dos trabalhadores”, explicou,Munícipes ouvidos pela nossa reportagem manifestaram-se satisfeitos com a qualidade e o preço do pão.Rosa Simão, estudante da 12º classe no Instituto Médio Politécnico de Ondjiva, considerou que está um pouco caro em todas as padarias, mas tem boa qualidade.
Maria Luísa referiu que sempre que ia à Namíbia aproveitava para comprar pão, mas actualmente já não é necessário, porque o produto que se vende em Ondjiva tem qualidade aceitável.

Tempo

Multimédia