Províncias

Pequenos agricultores recebem formação em novas técnicas para melhorar colheitas

Elautério Silipuleni | Ondjiva

Camponeses e pequenos agricultores da província do Cunene estão a ser treinados no manuseamento de técnicas modernas da actividade agrícola, por especialistas da Direcção Provincial da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas.

 

Camponeses e pequenos agricultores da província do Cunene estão a ser treinados no manuseamento de técnicas modernas da actividade agrícola, por especialistas da Direcção Provincial da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas.
Em declarações ao Jornal de Angola sobre a preparação da campanha agrícola 2011/2012, o director da Agricultura, Pedro Pacavira, referiu que “para aumentarmos os níveis de produção agrícola é necessário formar os agricultores com ferramentas modernas praticadas na agricultura e, também, criar mecanismos que os habilite e incentive a participar no programa de combate à pobreza na província”.
Pedro Pacavira explicou que a Direcção Provincial da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas, em colaboração com o Governo Provincial do Cunene, vai continuar a desenvolver políticas que permitam a realização de uma “agricultura moderna e capaz de gerar rendimentos às famílias”.
A província do Cunene tem um efectivo pecuário de elevada dimensão mas os criadores de gado tradicionais precisam de aprender técnicas de gestão das manadas e sobretudo de melhoramento animal. Outro problema que se coloca aos criadores tradicionais tem a ver com a comercialização do gado para o corte e reprodução.
Os técnicos têm agora a possibilidade de levar aos criadores de gado tradicionais conhecimentos e técnicas para tirarem mais rendimento das suas manadas.

Instrumentos de trabalho

Para além do crédito de campanha e outros programas de apoio, Pedro Pacavira garantiu que as autoridades da província vão continuar a apoiar os agricultores com enxadas, charruas, catanas, moto-bombas, limas, adubos, sementes e fertilizantes, para impulsionar o aumento da produção.
Pedro Pacavira pediu igualmente aos agricultores e camponeses para aproveitarem esta iniciativa, cujo objectivo é a diversificação da agricultura e da dieta alimentar da população. O aumento dos níveis de produtividade dos camponeses, com o apoio das autoridades locais, salientou, vai ajudar a reduzir a importação de muitos produtos da Namíbia.    
 
Adesão ao crédito
 
Pedro Pacavira considerou satisfatória a adesão dos pequenos camponeses ao crédito agrícola de campanha, tendo em conta o impacto muito positivo do projecto no programa de combate à pobreza nas comunidades rurais.
Acrescentou que “neste momento já beneficiaram do crédito de campanha os municípios do Cuanhama, Cuvelai e Ombadja”, mas notou que existe um certo cepticismo por parte dos camponeses em alcançar bons resultados. Realçou que os trabalhos de mobilização e sensibilização dos camponeses para uma adesão massiva ao crédito agrícola de campanha têm sido intensificados, com explicações detalhadas sobre as vantagens nas suas vidas ao recorrerem ao crédito.
Pedro Pacavira disse que o crédito agrícola de campanha constitui a via acertada adoptada pelo Executivo, no quadro das acções de apoio às famílias camponesas, para aquisição de sementes e instrumentos de trabalho.
Os camponeses podem produzir o suficiente para o auto sustento das suas famílias e produção de excedentes para serem comercializados noutros pontos do país e ajudar a erradicar a pobreza na província.
Os pequenos agricultores, além de crédito agrícola de campanha têm igualmente apoio técnico e as comunidades rurais recebem instrumentos de trabalho e sementes seleccionadas para as culturas.
Actualmente, no Cunene, beneficiam do crédito agrícola de campanha 30 camponeses associado em cooperativas, dos municípios do Cuanhama, Ombadja e Cuvelai, num total de 90 milhões de kwanzas. O crédito está a crescer e em breve chega a mais municípios e a todas as comunidades rurais.

Tempo

Multimédia