Províncias

Pesca artesanal em crescimento

Dionísio David |Ondjiva

O crescimento da pesca artesanal na província do Cunene já é uma realidade graças aos níveis de organização e integração alcançados pelas cooperativas existentes na região e os níveis de captura que têm subido de ano para ano, informou o responsável do sector das pescas, João Gaspar Lucas.

O crescimento da pesca artesanal na província do Cunene já é uma realidade graças aos níveis de organização e integração alcançados pelas cooperativas existentes na região e os níveis de captura que têm subido de ano para ano, informou o responsável do sector das pescas, João Gaspar Lucas.
Falando sobre as estratégias do seu sector para os próximos tempos e das realizações do ano passado, João Gaspar salientou que muitos esforços foram empreendidos na constituição das cooperativas nos municípios de Ombadja e Cuvelai a partir de 2003.
Sublinhou que a actividade da pesca artesanal tem assumido um papel de destaque no crescimento e desenvolvimento das pequenas e medias empresas do ramo, como resultado dos incentivos que o Governo Provincial tem vindo a proporcionar às cooperativas constituídas apenas nos municípios de Ombadja e Cuvelai e que operam em mais de 40 áreas piscatórias.
João Gaspar destacou que existem 21 cooperativas nas das comunidades piscatórias que enquadram 3.016 pescadores, dos 1.825 homens e 1.191 mulheres. Informou que nas comunidades piscatórias há 5.240 crianças que foram inseridas no sistema de ensino.
Para garantir o normal funcionamento das cooperativas, o sector de apoio à pesca artesanal, tem contado com o apoio do Ministério das Pescas, que fornece chumbos, redes, canoas, bóias e embarcações motorizadas. As cooperativas contam com 94 embarcações motorizadas mas chegaram à província do Cunene mais 24 e que em breve vão ser distribuídas.

Níveis de captura

João Gaspar informou que os níveis da captura têm sido satisfatórios sobretudo nos últimos dois anos. Durante 2010 os pescadores capturaram mais de 32 toneladas de peixe.
A pesca artesanal desenvolve-se nos municípios de Ombadja e Cuvelai nos rios Cunene, Cuvelai e Calonga. Também há comunidades de pescadores nos rios de pequeno caudal como o Evale, no Cuanhama, Nanuno, na Mupa, município do Cuvelai. Grande pare da produção é vendida e consumida na Namíbia e no resto dos municípios da província.   

Tempo

Multimédia